Moritz Petersen/Flickr
Foto
Moritz Petersen/Flickr

Guimarães 2012: alguém quer ser pago para fazer uma instalação?

O desafio é dirigido a estudantes universitários e o objectivo é promover instalações em espaços de Guimarães. Os cinco projectos mais votados recebem 2.500 euros

No âmbito de Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura, o Cri.D.A (Criação Digital Académica) é um concurso e quer “promover a criatividade, na área da arte interactiva”, por forma a criar condições “para um contacto directo entre estudantes de várias instituições de ensino”.

Só os cinco projectos mais votados são premiados. Estão a concurso 2.500 euros para “suportar os custos envolvidos na apresentação, tais como a aquisição de equipamento, deslocações, entre outras despesas”.

As propostas de instalação podem ser enviadas por grupos ou por estudantes a título individual. De acordo com o regulamento do concurso, os participantes “devem ser estudantes em instituições de Ensino Superior no Norte do país”. A “originalidade e inovação” e a “exequibilidade da proposta dentro das limitações impostas” são critérios de selecção.

Ao todo, são cinco os espaços disponíveis e para os quais os projectos têm de ser pensados: a entrada do Grande Auditório e o pátio interior do Centro Cultural Vila Flor (CCVF), o corredor do piso 1 e a Galeria 4 do Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura (CAAA) e o Centro de Computação Gráfica da Universidade do Minho, no Campus de Azurém.

O júri é composto por cinco docentes do Ensino Superior: Carlos Guedes (ESMAE – IPP), Cristina Sá (Universidade Católica Portuguesa), Heitor Alvelos (Universidade do Porto), Nelson Zagalo e Pedro Branco (Universidade do Minho).

Todas as propostas devem ser enviadas até 15 de Setembro, para [email protected] e os resultados são divulgados cinco dias depois, a 20 de Setembro.