Crise

Taxa de desemprego em Espanha atinge recorde de 24,6%

Primeiros números de desemprego divulgados após reformas laborais adoptadas pelo Executivo de Mariano Rajoy
Foto
Primeiros números de desemprego divulgados após reformas laborais adoptadas pelo Executivo de Mariano Rajoy Miguel Riopa/AFP

A taxa de desemprego em Espanha atingiu o valor histórico de 24,6% da população activa, ultrapassando os números registados no primeiro trimestre de 1994 (24,55%), que era até agora o nível máximo apontado pelo instituto nacional de estatística espanhol.

Os dados hoje revelados pelo Inquérito à População dão conta de um aumento de 53.500 pessoas que no segundo trimestre perderam o emprego. No total há 5.693.100 espanhóis nesta situação

O número de lares com todos os elementos da família sem trabalho aumentou para 1.737.600, mais 9300 do que no primeiro trimestre. Ao mesmo tempo, há 8.580.500 lares onde todos os membros estão no activo, menos 13.200 do que nos primeiros meses do ano.

As comunidades autónomas mais afectadas são a Andaluzia, Castela La Mancha, Catalunha, Galiza e Canárias. Pelo contrário, o emprego aumentou nas Baleares, Madrid, Múrcia, Castela e Leão e Valência.

Este é o primeiro relatório divulgado depois das reformas laborais em Espanha. Entre Abril e Junho havia 17,4 milhões de espanhóis com emprego, menos 15.900 do que no primeiro trimestre.