Designer colecciona crise do euro em imagens: do blazer de Markel à carteira de Bruni

Há Angela Merkel vestida com vários cores, a colecção de malas de Carla Bruni e ainda as conquistas amorosas de Berlusconi. Uma jovem holandesa decidiu expor o que se passa com os políticos para lá da crise

The German French Affair é o título da sequência em que Sarkozy e Merkel se cumprimentam efusivamente
Fotogaleria
The German French Affair é o título da sequência em que Sarkozy e Merkel se cumprimentam efusivamente
DR
Fotogaleria
DR

The Spectacle of the Tragedy é uma base de dados com imagens de diferentes fontes noticiosas sobre a crise, financeira e não só, da Zona Euro. A responsável por sequências como a que reúne pequenas fotografias de Angela Merkel com “blazers” de tons diferentes — a holandesa Noortje van Eekelen — é designer gráfica e o site é parte da sua tese de mestrado em Design no Sandberg Instituut Amsterdam.

A Noortje, de 30 anos, as questões políticas, económicas e sociais são as que mais interessam. The Spectacle of the Tragedy mostra a quantidade de beijinhos e abraços que Merkel e Sarkozy trocaram nos últimos tempos, fotografias de líderes europeus que foram caindo desde que a crise começou (José Sócrates não podia faltar aqui), as “amigas” de Silvio Berlusconi ou a colecção de malas de Carla Bruni. Entre Roterdão e Amesterdão, as duas cidades onde trabalha, Noortje van Eekelen falou, por e-mail, com o P3.

O que te levou a criar um projecto destes?

Foto
São mais de 60 as fotografias das malas de Carla Bruni

A decisão de criar o The Spectacle of the Tragedy veio do fascínio pela forma como o público percebe a cobertura noticiosa em torno da crise do euro. Apesar de ser, por norma, muito fragmentada, achei que seria interessante juntar todas essas fontes fragmentadas e ver que tipo de imagem surgiria.

Foto
Mark Rutte, primeiro-ministro demissionário da Holanda, é aqui apresentado nos seus momentos mais felizes

Há quanto tempo existe?

Nos últimos dois anos segui as notícias em torno da crise do euro e durante este tempo reparei, por exemplo, que apesar de existir uma cobertura diária, alguns dos maiores padrões, como a quantidade de políticos com (antigos) laços à Goldman Sachs, não estavam a ser falados. Comecei, então, a criar colecções de imagens em torno destes padrões, algures em Setembro de 2011, e depois continuei a recolher mais material. Ao longo dos últimos dois meses transformei-as num website e apresentei-as publicamente.

Quais são os teus critérios?

Ao escolher os critérios para as diferentes colecções tentei, intuitivamente, criar um contraste, mostrando, por um lado, as pessoas responsáveis pelas obscuras manipulações financeiras que nos levaram à situação que hoje vivemos na Zona Euro e, por outro, alguns dos aspectos mais idiotas ou espectaculares de como os nossos políticos estão a tentar reparar o nosso sistema falido.

O que é que te fascinou mais?

À medida que ia criando as colecções fiquei fascinada com os contrastes extremos do imaginário da crise do euro. Por exemplo, de cada vez que o antigo presidente Sarkozy e a chanceler alemã Merkel se encontravam, existia um momento muito público de ‘beijinhos e abraços’ em frente às câmaras. Ao mesmo tempo, eles tinham reuniões sérias e politicamente importantes atrás de portas para decidir o futuro da Zona Euro.

Que mensagem queres passar?

O objectivo é criar uma plataforma para as pessoas reflectirem sobre a crise do euro, mostrando o que está a acontecer por detrás dos sorrisos políticos e possibilitar uma percepção profunda de alguns dos comportamentos irresponsáveis de alguns dos políticos que dirigem a Zona Euro. As pessoas podem ver o projecto como uma distração, focando-se no espectáculo, mas também existe uma camada mais profunda de narração sobre como os nossos líderes europeus estão a tentar garantir um sistema económica e politicamente unificado. Para eles, este parece ser o melhor caminho para criar confiança e manter os motores económicos da Europa a trabalhar. Contudo, a elite política de hoje está a falhar no envolvimento dos cidadãos no seu sistema confuso e não se apercebe com que tipo de fogo está a brincar.

Qual tem sido a reacção das pessoas?

Nos últimos dias, o projecto foi falado em artigos online e por pessoas individuais, nas redes sociais. As diferentes interpretações do trabalho conduziram a um debate público sobre que caminho estamos a seguir na Zona Euro. É incrível ver o projecto ir de país em país e ter tantos europeus envolvidos na discussão. Gostava de expandir o site e em breve vai estar disponível novo conteúdo.