Cinema europeu

“Tabu” de Miguel Gomes finalista do Prémio LUX do Parlamento Europeu

O vencedor é anunciado em Novembro
Foto
O vencedor é anunciado em Novembro DR

O filme “Tabu”, do português Miguel Gomes, amplamente aclamado pela crítica nacional e internacional e com destaque nos vários festivais de cinema onde tem sido apresentado, está entre os três finalistas ao Prémio LUX, atribuído pelo Parlamento Europeu.

“Tabu”, que se estreou no Festival de Berlim, em Fevereiro, conquistando o prémio da crítica, atribuído pela Fipresci, e o prémio Alfred Bauer, concorre agora com o filme do húngaro Bence Fliegauf, “Csak a szél”, e com o italiano “Io Sono Li”, de Andrea Segre.

Rodado em película, a preto e branco, o filme evoca e invoca ao mesmo tempo a presença portuguesa em África e o cinema clássico, passado entre a Lisboa dos nossos dias e os anos de 1960 no sopé do Monte Tabu.

Em Março a terceira longa-metragem de Miguel Gomes conquistou o prémio Lady Harimaguada de Prata no Festival de Las Palmas, no valor de 20 mil euros, depois do seu filme anterior, "Aquele Querido Mês de Agosto", ter recebido o mesmo galardão em 2009. Em Las Palmas o filme recebeu ainda o prémio do público.

Criado em 2007 para valorizar longas-metragens de origem europeia, premiando os filmes que melhor contribuem para realçar a identidade e a diversidade cultural europeia, o Prémio LUX foi atribuído a obras como “Do Outro Lado”, de Fatih Akin, em 2007, “O Silêncio de Lorna”, dos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne, em 2008, “Welcome – Bem-vindo”, de Philippe Lioret, em 2009, “O Estrangeiro”, de Feo Aladag, em 2010. “As Neves do Kilimanjaro”, do francês Robert Guédiguian, foi o vencedor da edição do ano passado.

Os LUX não atribuem dinheiro aos vencedores. O Parlamento Europeu responsabiliza-se por financiar a legendagem do filme vencedor nas 23 línguas oficiais da União Europeia, distribuir no espaço europeu e a adaptar a versão original para pessoas com deficiência visual e auditiva

Esta é assim a segunda vez que um filme português chega aos três finalistas do prémio, depois de em 2007 Manoel de Oliveira ter sido escolhido com “Belle Toujours”.

“Tabu”, que foi escolhido por um júri constituído por 17 profissionais do sector, vai agora ser exibido em todos os países europeus em diferentes festivais e salas dos 27 Estados-membros, em sessões por vezes seguidas de debates e discussões públicas com o realizador, os actores e os deputados europeus, num programa que integra os Dias dos Filmes Lux.

O vencedor, escolhidos pelos deputados europeus, será anunciado a 21 de Novembro.