Fotogaleria
Fotogaleria
DR

Arquitectura: dupla portuguesa distinguida com Badel Block

Pablo Rebelo e Pedro Pita ganharam o primeiro prémio do concurso internacional Badel Block. Quase 250 projectos estiveram a concurso, num desafio lançado pela autarquia croata

O júri do prémio internacional Badel Block estava plenamente convencido de que o grande vencedor do desafio lançado pela autarquia de Zagreb seria um projecto croata. É que nenhum dos outros concorrentes internacionais poderia conhecer tão bem como eles as necessidades do quarteirão que os concorrentes tinham de requalificar. E essa era claramente uma vantagem.

Os jurados confidenciaram-no a Pablo Rebelo e Pedro Pita quando, em Junho, os portugueses se deslocaram à capital croata para receber o primeiro prémio do galardão Badel Block. Ao P3, um dos arquitectos da dupla Pablo Pita confidenciou que apresentaram o projecto vencedor sem sequer conhecerem pessoalmente o quarteirão para o qual estavam a desenhar.

“Infelizmente não conseguimos ir ao terreno antes de projectar, mas fizemos um estudo intensivo da área para perceber o que podia funcionar”, contou Pablo Rebelo, arquitecto de 28 anos. A tecnologia actualmente disponível e toda a informação disponibilizada pela autarquia de Zagreb e pela Ordem dos Arquitectos da Croácia tornaram a tarefa viável.

PÚBLICO -
Foto
O quarteirão desenhado pelos portugueses inclui hotel, habitação, escritórios, centro cultural e jardim público DR

O “concurso de ideias” pedia um projecto que requalificasse um quarteirão da baixa da cidade. E 2311 pessoas de 99 países responderam ao desafio, sendo o projecto português o distinguido com o primeiro prémio entre 242 trabalhos submetidos.

A "tipologia do quarteirão europeu"

“Era um espaço muito indefinido e nós propusemos recuperar a tipologia do quarteirão europeu: construção à volta e o núcleo vazio”, contou Pablo Rebelo.

A área de construção ronda os 50 mil metros quadrados e o projecto dos portuenses inclui três edifícios residenciais, três edifícios de hotel, escritórios, um parque público e um centro cultural. O júri elogiou a forma “clara e simples” como reuniram “todas as valências de uma forma equilibrada”.

Participar em concursos – nacionais e internacionais – é uma das apostas do gabinete portuense Pablo Pita, criado há cerca de dois anos. Depois de partilharem salas de aula na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto e de algumas experiências noutros gabinetes, os dois amigos decidiram aproveitar algumas oportunidades que surgiram e criaram o próprio espaço.

Os cerca de 30 mil euros que o prémio croata lhes atribuiu é uma ajuda bem-vinda e o objectivo é agora “continuar a investir no gabinete, mantendo a estrutura de pequenos projectos em Portugal e investir em concursos”.

O projecto para o quarteirão de Zagreb está, para já, apenas no papel, mas a autarquia local e a Ordem dos Arquitectos estão a tentar encontrar investidores que o viabilizem. Se depois de verem o espaço pessoalmente mudariam alguma coisa no projecto? “Nada, fazíamos exactamente na mesma.”

Sugerir correcção