“Portugal está no bom caminho”, diz líder parlamentar alemã

A presidente do grupo parlamentar da CSU, partido da coligação governamental alemã, considerou hoje que Portugal está no bom caminho na resolução da crise, disse que há ainda mais a fazer e prometeu apoio a Lisboa.

“Consolidação orçamental, aumento da competitividade, tudo isso nos interessa. Queremos apoiar Portugal nesse caminho e gostaríamos de pronunciar o nosso reconhecimento pelo que foi feito nos anos passados”, disse Gerda Haffelseldt, em declarações perante os jornalistas, em Lisboa, no final de uma audiência com o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

“O caminho é o caminho certo mas as pessoas e os políticos, em especial, ainda têm de fazer muito. Mesmo quando se está no caminho certo, acho que este caminho pode ser defendido com toda a consciência”, afirmou a líder parlamentar da CSU, o partido-irmão da CDU (da chanceler alemã Angela Merkel) no estado da Baviera.

A visita a Portugal dos deputados do partido faz parte de um programa regular de deslocações a países “de especial interesse”, disse Gerda Haffelseldt, frisando que Portugal “está a atravessar um período difícil” para melhorar as condições económicas e consolidar as contas públicas.

“Um dos motivos da nossa viagem é ver [o que], para além dos esforços políticos, é possível e necessário fazer para melhorar a competitividade, para gerar crescimento económico e isto cabe não só aos políticos, mas [também] às empresas”, referiu Gerda Haffelseldt, que tinha ao lado Cavaco Silva.

Horst Seehofer, presidente da CSU, em meados de Junho, defendeu um referendo na Alemanha em caso de serem necessárias novas ajudas financeiras a países da zona euro em dificuldades devido à crise da dívida soberana europeia.

A visita da delegação parlamentar da CSU segue-se ao início, na terça-feira, na Alemanha, do processo no qual o Tribunal Constitucional alemão vai avaliar queixas sobre a legalidade do fundo permanente europeu de resgate financeiro e do novo pacto orçamental europeu, que tem atrasado a entrada em vigor destes mecanismos.

Peter Gauweiler, um notório eurocéptico da CSU, foi o autor de uma das queixas junto do Tribunal Constitucional ao lado de queixas, entre outros, o partido Linkle, de extrema esquerda e um grupo de cidadãos que se intitula “Mais Democracia”.

Em Lisboa, Gerda Haffelseldt frisou hoje que a Europa “é uma história de sucesso para todos” e defendeu o reforço da cooperação, aos vários níveis, entre os 27 Estados-membros da União Europeia (UE) para combater a crise.

“Os Estados europeus têm que se aproximar ainda mais uns dos outros - governos, Estados e parlamentos nacionais, não se podem concentrar só nos próprios países, mas têm que estar atentos aos outros Estados europeus” referiu.

“Os parlamentos nacionais têm de ter mais responsabilidades (...) têm de colaborar de forma mais intensa, porque os actuais problemas não são só problemas dos Estados nacionais”, disse ainda a líder parlamentar da CSU.

Sugerir correcção