Futebol internacional

FIFA confirma que Havelange e Ricardo Teixeira receberam subornos

Ricardo Teixeira, que foi presidente da Confederação Brasileira de Futebol, é um dos incriminados pela FIFA
Foto
Ricardo Teixeira, que foi presidente da Confederação Brasileira de Futebol, é um dos incriminados pela FIFA Foto: Nacho Doce/Reuters

A FIFA divulgou nesta quarta-feira documentos que confirmam que o ex-presidente João Havelange e o antigo líder da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) Ricardo Teixeira receberam subornos da empresa de marketing ISL, que entretanto faliu em 2001.

Segundo o processo, Teixeira, que abandonou o cargo de presidente da CBF em Março deste ano, terá recebido 13 milhões de dólares (cerca de 10 milhões de euros) em troca de vantagens para a ISL no processo de venda dos direitos de transmissão televisiva dos Mundiais.

Por seu lado, Havelange, presidente da FIFA durante 24 anos (1974-1998), recebeu um total de um milhão de euros da ISL um ano antes de deixar o cargo.

Este anúncio da FIFA acontece no dia em que o Supremo Tribunal da Suíça ordenou, por achar que é do interesse público, a divulgação dos documentos que revelavam os nomes dos dirigentes que aceitaram subornos da ISL, num processo judicial que ficou encerrado em Maio de 2010.

Na altura, Teixeira e Havelange chegaram a acordo com a justiça e pagaram 5,5 milhões de francos suíços para que os seus nomes não fossem divulgados.

O documento, de 42 páginas, foi publicado no site oficial da FIFA e demonstra em detalhe todo os pagamentos feitos pela ISL aos dois dirigentes brasileiros.

Sugerir correcção