UGT vai propor aumento do salário mínimo e das pensões

Foto
João Proença Foto: Joana Freitas

A UGT anunciou hoje que vai propor a discussão, em sede de concertação social, de uma política de rendimentos que aumente o salário mínimo nacional e os salários e pensões em geral. A proposta foi decidida hoje, numa reunião do secretariado nacional da UGT, e será desenvolvida em Setembro.

“Em Setembro iniciaremos uma agenda mais ambiciosa, nomeadamente da política de rendimentos”, disse, em conferência de imprensa, o secretário-geral da central sindical, João Proença.

O secretariado nacional da UGT volta a reunir-se, depois do período de férias, a 10 de Setembro, para aprovar a proposta de política de rendimentos.

João Proença aproveitou o encontro com os jornalistas para lançar o desafio ao Governo e aos empregadores para discutirem, na concertação social, uma política de rendimento que tenha presente a necessidade de aumentar o Salário Mínimo Nacional (SMN), os salários em geral e o descongelamento dos salários e pensões do sector público.

O sindicalista exigiu, dando voz a uma resolução aprovada pelo Secretariado Nacional da UGT, a dinamização da negociação colectiva dos sectores público e privado e a rápida publicação das portarias de extensão e da portaria das condições de trabalho.

“A ‘troika’ está a tentar destruir a contratação colectiva em Portugal, destruindo as suas bases fundamentais, e temos um Governo que não se demarca desta política”, disse Proença.

Notícia actualizada às 17h30. Acrescentada mais informação