Perpetually/ Flickr
Foto
Perpetually/ Flickr

Confirma-se: Facebook e Twitter aumentam ansiedade

Mais de metade dos inquiridos considerou que as redes sociais mudaram o seu comportamento. Metade disse que as suas vidas foram alteradas para pior

As redes sociais na Internet como o Facebook ou o Twitter aumentam a ansiedade dos utilizadores, segundo um estudo da Salford Business School, divulgado pelo Telegraph.

Segundo o estudo, cujo universo são os utilizadores de Internet, mais de metade dos inquiridos considerou que as redes sociais mudaram o seu comportamento e metade apontou que as suas vidas foram alteradas para pior. Dois em cada três inquiridos adiantaram que era difícil relaxar e até dormir após passarem algum tempo a navegar nas redes sociais e um quarto admitiu enfrentar dificuldades nos seus relacionamentos e no trabalho.

No total, 298 pessoas responderam ao inquérito da Salford Business School, na Universidade Salford, realizado para a Anxiety UK. Deste universo, 53 por cento disse que o lançamento das redes sociais mudou as suas vidas, sendo que a maioria considerou que a mudança teve um impacto negativo.

O estudo também demonstrou o vício em relação à Internet, com 55 por cento a afirmar que se sentiu “preocupado ou desconfortável” quando não conseguiu aceder ao Facebook ou às contas de correio electrónico. Na sua maioria, os inquiridos sentiram necessidade de desligar os seus aparelhos electrónicos para fazer um "intervalo" na Internet.

A directora executiva da Anxiety UK, Nicky Lidbetter, considerou que os resultados do estudo foram uma surpresa pelo elevado número de pessoas a afirmar que a única forma de interromper a ligação à Internet era desligar telemóveis, BlackBerries ou computadores, uma vez que são incapazes de pura e simplesmente ignorar os dispositivos.