Finlândia recusa pagar dívidas de outros países do euro

Foto
Foto: AFP Photo (arquivo)

“A Finlândia está empenhada em ser membro da zona euro” e a moeda única é benéfica para a Finlândia, afirmou. “A responsabilidade colectiva pelas dívidas (...) e os riscos de outros países não é algo para que nos devamos preparar”, disse.

Segundo o jornal, destas declarações pode entender-se que a Finlândia não se apegará ao euro a qualquer custo e que está preparada para todos os cenários, incluindo abandonar a moeda única europeia.

Urpilainen reconheceu, numa entrevista publicada na quinta-feira, no diário finlandês Helsingin Sanomat, que a Finlândia – um dos últimos países da zona euro com nota triplo-A pelas três principais agências de rating do Ocidente – “representava uma linha dura” face aos planos de ajuda financeira.

“Somos construtivos e queremos resolver a crise, mas não de qualquer maneira”, afirmou.

Helsínquia expressou a sua relutância em permitir que o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) compre obrigações dos Estados do euro no mercado secundário, no quadro do acordo alcançado na semana passada na cimeira de Bruxelas, onde foram anunciadas fortes medidas para apoiar a Itália e Espanha, actualmente sob fogo dos investidores.

Notícia alterada às 18h58

A AFP emitiu um despacho com uma versão corrigida das declarações da ministra finlandesa das Finanças (reproduzidas inicialmente nesta notícia com o título “Finlândia prefere sair do euro a pagar dívidas dos outros países”). A agência atribui ao jornal


Kauppalethi

– e não a Jutta Urpilainen – a ideia de que a saída da moeda única é um dos cenários admitidos pela Finlândia. A explicação pode ser lida

aqui

.

Sugerir correcção
Comentar