Produção chega à Europa através de Portugal e Espanha
Foto
Produção chega à Europa através de Portugal e Espanha

Droga: europeus consomem mais marijuana que haxixe

Relatório europeu regista aumento do consumo de erva e diminuição do uso de haxixe. modernas técnicas permitem também melhorar a “qualidade”(potência) da substância

O consumo de marijuana está a aumentar na Europa, enquanto o uso de haxixe tem vindo a diminuir, conclui um relatório europeu divulgado esta terça-feira.

O estudo do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT) refere que a Europa, um dos maiores consumidores mundiais de cannabis, cujas folhas secas são popularmente designadas marijuana, tornou-se também um importante produtor daquela droga, a mais popular no conjunto dos países da União Europeia mais a Noruega, a Croácia e a Turquia. 

Em dois terços dos países europeus, o consumo de cannabis é agora dominado pela marijuana, enquanto a sua resina (haxixe) ocupa um terço das preferências dos consumidores. Em dez países, maioritariamente do Leste europeu, a marijuana atinge mesmo 90% da cannabis consumida. 

Bélgica, Dinamarca, Países Baixos, Finlândia e Reino Unido são, por outro lado, países onde as autoridades detectaram um “forte aumento” da produção doméstica de cannabis herbácea, designação dada à marijuana. Esta realidade levou as polícias a fazerem parcerias com as entidades fornecedoras de electricidade ou autoridades do sector habitacional, de modo a detectaram a existência de plantações domésticas. 

Radares e câmaras que detectam fontes de calor são equipamentos que passaram também a ser usados para combater o recente fenómeno das plantações caseiras para produzir marijuana. Na Europa, para produzir cannabis herbácea basta ter acesso a água e a electricidade, imprescindíveis para a produção das suas plantas, em que são já usadas processos sofisticados de produção, como a hidroponia, que usa apenas água, dispensando o recurso a terra. 

Além da quantidade, as modernas técnicas permitem também melhorar a “qualidade”(potência) da droga produzida. Vinte e nove dos países que enviaram dados para o OEDT detectaram produções nos seus territórios, refere o relatório. 

As estatísticas indicam que quase um em cada quatro europeus com idade entre os 15 e os 64 anos já experimentaram cannabis, o que corresponde a 78 milhões de pessoas, e cerca de nove milhões de jovens (entre os 15 e os 34 anos) disseram tê-la consumido no último mês. 

Quanto ao haxixe, a maior parte desta variante da canábis consumida na Europa é produzida em Marrocos e entra no continente principalmente através das fronteiras de Portugal e Espanha.