Manifestação em Lisboa

Um "cardume" unido contra a sobrepesca

Participantes da iniciativa para todas as idades e nacionalidades
Foto
Participantes da iniciativa para todas as idades e nacionalidades Pedro Cunha

Um cordão humano em forma de peixe surgiu este sábado em frente ao Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa. A iniciativa promovida pela OCEAN2012, pede às entidades políticas europeias para “acabarem com a sobrepesca ou a pesca acabará”.

“Não queremos o fim da pesca, mas que fique consagrada a sustentabilidade das pescas” sublinha Gonçalo Carvalho, coordenador português da OCEAN2012, defendendo que ”a reforma da política comum das pescas (PCP) tem de garantir o fim da sobrepesca, das práticas destrutivas e um acesso justo e equitativo a stocks de pesca saudáveis”.

Cerca de uma centena de pessoas participou na concentração desta manhã, no âmbito das Semanas Europeias do Peixe, junto ao Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa. Eram voluntários de ONG convocados através das redes sociais, turistas, moradores no seu passeio matinal e até uma tuna académica.

Paula Rodrigues, uma das moradoras, “apanhada” no meio do evento, confessa que quando lhe fizeram a proposta "não pode rejeitar”. "Tal como todos os portugueses, tenho uma ligação muito próxima com os oceanos. No entanto ainda não tenho uma atenção com o consumo de peixe, como tenho para com a reciclagem.”

Na memória colectiva de Portugal ainda está vivo o o cenário de abundância de pescado, de embarcações, de pescadores e de comunidades dependentes da pesca. Mas a contínua sobrepesca precipitou os stocks de peixe para os actuais níveis, perigosamente baixos.

A nível nacional as maiores preocupações residem no facto de as actividades piscatórias serem em pequena escala, de carácter artesanal. Esta característica “pelos documentos que agora tivemos acesso, tem sido deixada de fora da política comum europeia” sublinha, Gonçalo Carvalho. Mudanças no sector não podem “ser feitas do pé para a mão, mas sim, de uma forma ponderada e pensada, em conjunto com os pescadores e legisladores”.

As Semanas Europeias do Peixe pretendem lembrar a necessidade da intervenção da sociedade civil na Política Comum das Pescas e procuram inspiração em referências históricas sobre o estado dos mares na música, em poemas, pinturas, fotografias e até em receitas gastronómicas.

A entidade organizadora das Semanas Europeias do Peixe, a OCEAN2012, surgiu em 2009 com o objectivo de acompanhar a reforma da política comum das pescas e é uma aliança de mais de 160 organizações europeias.

A aposta na sensibilização para a pesca sustentável reflecte-se nas actividades desenvolvidas por essas associações. Em 2010, implementaram o projecto “Que Peixe Comer” e no ano seguinte trabalharam receitas sustentáveis com os alunos da Escola de Turismo e Hotelaria de Lisboa. Desejosos de alargar o conceito, organizam este Domingo uma sardinhada em Peniche, estando ainda agendado outra iniciativa para a Horta, Açores, em Julho.

As entidades portuguesas envolvidas neste projecto são a Associação Portuguesa para o Estudo e Conservação de Elasmobrânquios, o Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente, a Liga para a Protecção da Natureza, a Associação de Ciências Marinhas e Cooperação. Ainda este ano juntou-se o Observatório do Mar dos Açores.