CGTP acusa troika de agiotagem durante manifestação em Lisboa

“O chamado ‘Impulso Jovem’ não passa de uma ilusão", disse Arménio Carlos
Foto
“O chamado ‘Impulso Jovem’ não passa de uma ilusão", disse Arménio Carlos Rui Gaudencio

Cerca de 20 mil pessoas desfilaram na tarde deste sábado entre o Marquês de Pombal e a Praça dos Restauradores, em Lisboa, respondendo desse modo ao apelo da CGTP para que se repetisse na capital a grande adesão popular verificada no Porto.

Tratou-se de mais uma manifestação contra a precariedade, o desemprego e a degradação das condições de vida e onde o Governo não foi poupado, acusado de se manter indiferente às dificuldade da população para se subjugar ao que foi denominado como “agiotagem” da troika.

Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP, não atacou somente a troika, deixando duras críticas ao Governo liderado por Passos Coelho considerando que “a situação dos jovens, com elevado desemprego e precariedade, não é sustentável”.

“O chamado ‘Impulso Jovem’ não passa de uma ilusão que, rapidamente, se transformará numa enorme frustração. Nós não aceitamos que o Governo dê centenas de milhões de euros ao patronato para generalizar a precariedade, baixar os salários e depois passar o ‘passaporte’ para o desemprego aos nossos jovens”.

O mesmo sindicalista defendeu ainda que compete ao presidente da República, Cavaco Silva, vetar o diploma de revisão da legislação laboral.

“É uma revisão laboral quer choca com o direito de trabalho e a harmonização social no progresso, que viola normas internacionais do trabalho e entra em rota de colisão com a Constituição”, acrescentou.