Câmara do Porto retira guias com insulto a Rui Rio e processa editora

Foto: DR
Foto
Foto: DR

A Câmara do Porto já mandou retirar de todos os espaços municipais o último número do guia de restaurantes Porto Menu, em cuja capa figura uma imagem, ao que tudo indica alterada digitalmente, na qual aparece um dos torreões do Mercado do Bolhão com um grafito, no qual se lê, em maiúsculas, a frase "Rio és um fdp".

Numa carta enviada aos anunciantes da publicação na segunda-feira, a autarquia anuncia ainda a intenção de não permitir a distribuição de mais nenhum número da revista nos espaços do município, e também o propósito de accionar "o competente processo judicial" contra a Porto Menu.

"É, de facto, absolutamente inadmissível que se publique e divulgue uma suposta fotografia - para mais como capa da revista - com uma inscrição gravemente insultuosa de uma pessoa, em particular do senhor presidente da Câmara Municipal do Porto, o qual foi democraticamente escolhido pela maioria do povo portuense como seu principal representante. Mais grave se torna quando tal inscrição nunca esteve pintada naquela parede, pelo que, lamentavelmente, é fruto de montagem fotográfica", lê-se na carta enviada pela autarquia aos anunciantes da publicação.

Recorde-se que a Porto Menu existe desde 2004 e tem uma tiragem de 60 mil exemplares, distribuídos gratuitamente em estabelecimentos hoteleiros, postos de turismo, equipamentos culturais, eventos e associações, bem como na Galiza e nas delegações do AICEP em todo o mundo. De acordo com o director da publicação, anteontem contactado pelo PÚBLICO, já terão sido distribuídos 20 mil exemplares do polémico número da revista.

Na capa, tal como ontem foi noticiado, aparece uma das fachadas do Mercado do Bolhão com a inscrição "Rio és um fdp", numa aparente alusão ao presidente da Câmara do Porto, Rui Rio. O grafito, porém, não existe e, de acordo com as empregadas da loja de roupa que funciona naquela esquina das ruas Formosa e de Alexandre Braga, nunca existiu antes, sendo uma "montagem fotográfica". A mesma convicção é expressa na carta da autarquia, embora o editor da publicação, Manuel Leitão, tenha rejeitado esta hipótese, considerando que as funcionárias não estão ali 24 horas por dia.

Manuel Leitão nega ainda que a frase "Rio és um fdp" seja uma ofensa ao autarca. "Que eu saiba, "Rio" é um substantivo próprio que significa um curso de água e o resto são três iniciais, um verbo e um artigo", disse ao PÚBLICO, acrescentando que as provocações não fazem parte do seu código de conduta.

Na carta enviada aos anunciantes da Porto Menu, a Câmara do Porto justifica o recurso aos tribunais por considerar ter a obrigação de "defender a dignidade e o respeito pela instituição municipal, pelo seu presidente e pela própria cidade". "Na verdade, julgamos indispensável não pactuar, nem nos conformarmos, com atitudes como esta, de insulto anónimo e gratuito e que, ao abrigo de uma suposta liberdade, apenas contribuem para o desprestígio das nossas instituições e para a degradação dos valores estruturantes da nossa sociedade", lê-se na missiva.