Merkel reforça oposição às obrigações europeias

Foto
A chanceler alemã considera que a Europa precisa de mais integração Foto: Fabian Bimmer/Reuters

Merkel abordou a questão das euro-obrigações numa conferência da CDU, no sábado, em Berlim, na qual afirmou que não concorda “em nenhuma circunstância” com o lançamento de eurobonds.

“Há quem queira as eurobonds, dizendo que tudo o que nós precisamos é de taxas de juro iguais e que tudo voltará a correr bem”, afirmou, segundo a agência Bloomberg.

Merkel insistiu que a Europa precisa, antes, de um impulso económico com maior integração. Neste ponto, a opinião é partilhada por Mario Monti, que, numa entrevista ao jornal grego To Vima, que a Reuters cita, disse acreditar numa união económica “mais integrada”. Mas, por essa mesma razão, considera que, “de uma ou de outra forma”, as obrigações europeias acabarão por ser uma realidade na moeda única.

Num momento em que a Espanha está sob o foco dos mercados, enfrentando uma subida dos juros para níveis próximos dos 7%, a moeda única europeia continua sob forte pressão dos mercados e negociou, na última semana, em níveis mínimos de dois anos contra o dólar norte-americano.

No mesmo dia em que Merkel falava, em Berlim, da necessidade de os países reforçarem a sua integração, o Presidente do Governo espanhol dizia, numa conferência pública em Barcelona, que os membros da moeda única têm de perder parte da soberania na condução da política orçamental, criando-se uma autoridade europeia que centralize o controlo das contas públicas dos vários países.

Sugerir correcção
Comentar