Energia

António Mexia admite retirar EDP Renováveis de bolsa depois de 2012

António Mexia, CEO da EDP, admite retirar renováveis da bolsa
Foto
O presidente da EDP vai substituir o alemão Johannes Teyssen na liderança da Eurelectric Paulo Ricca

Presidente executivo da eléctrica admite que integração da empresa na EDP faz "todo o sentido financeiro".

O presidente executivo da EDP admitiu hoje a possibilidade de retirar de bolsa a EDP Renováveis devido ao comportamento da empresa em bolsa.

António Mexia, que falava aos jornalistas no final do Dia do Investidor no Porto, disse que faria “todo o sentido financeiro” retirar a EDP Renováveis de bolsa e integrá-la na casa mãe, mas que tal não aconteceria este ano.

“Em 2012 não iremos fazer nada [em relação à saída de bolsa da EDP Renováveis], o que não implica que faremos em 2013”, afirmou por seu lado Nuno Alves, administrador financeiro da EDP, também presente na conferência de imprensa.

António Mexia realçou que “independentemente de fazer sentido do ponto de vista económico, ainda não está claro que a EDP Renováveis saia de bolsa”, até porque a eléctrica acabou de assinar uma parceria com os novos accionistas chineses, a Three Gorges, em que os parques eólicos têm um papel importante.

“Veremos em função daquilo que fizer mais sentido”, frisou Mexia.

As acções estavam hoje a perder mais de 5%, para 3,01 euros. Desde o início do ano, a cotação desvalorizou mais de 36%.