Futebol internacional

Assobios ao hino e ao Príncipe colocam em risco a Taça de Espanha

Adeptos do Barcelona
Foto
Adeptos do Barcelona Foto: Josep Lago/AFP

Athletic e Barcelona, dois dos emblemas mais independentistas do país, defrontam-se na final na próxima sexta-feira. A presidente da Comunidade Autónoma de Madrid já disse que se deve suspender e jogar a partida à porta fechada caso atentem contra a bandeira.

A presidente da Comunidade Autónoma de Madrid veio nesta terça-feira a público dizer que “se deve suspender e jogar-se noutro lugar e à porta fechada” a final da Taça de Espanha.

É a resposta de Esperanza Aguirre caso os adeptos do Barcelona e Athletic Bilbau assobiem o Príncipe durante a entoação do hino de Espanha antes do início da partida da próxima sexta-feira, no Vicente Calderón, estádio ao Atlético de Madrid.

“Os ultrajes à bandeira ou ao hino são delito no Código Penal”, afirmou a presidente. “Não devem ser consentidos e por isso, na minha opinião, o jogo deve ser suspenso e jogar-se à porta fechada noutro lugar”, contou Aguirre numa entrevista à “Onda Cero”.

“Este é o campeonato de Espanha. Está Copa já a entregava o presidente da República quando havia República, Franco quando estava Franco e agora é a Copa de sua majestade o Rei, mas é a Copa de Espanha”, defendeu a edil madrilena.

“Se alguns dos adeptos, que estou segura de não serem todos e que há muitos que não são nacionalistas nem separatistas nem anti-espanhóis, querem assobiar, digo já que o jogo não se realizará, de certeza”, atirou.

“Assobia pela independência”

Os movimentos a favor do reconhecimento internacional das selecções desportivas catalãs e bascas – como a “Plataforma ProSeleccions Esportives Catalanes” e o movimento basco “ESAIT” – apenas pediram aos seus adeptos que encham Madrid e o estádio e levem cartazes.

Mas o movimento “Catalunya Acció” pede mais: um “assobio pela independência” durante o jogo da final.“Assobia com a língua, assobia pela liberdade, assobia pelas eleições, assobia contra o roubo e assobia pelo novo Estado catalão”, pede o “Catalunya Acció”.

Presidente do Barcelona diz que adeptos devem poder exprimir-se

O presidente do Barcelona, Sandro Rosell, deseja que todos os barcelonistas que assistam à final da Taça de Espanha (Copa do Rei) “possam expressar livremente os seus sentimentos”.

Rosell respondeu assim às declarações de Esperanza Aguirre. “Era o que mais faltava”, disse o líder do clube catalão.

O Tribunal Superior de Justiça de Madrid autorizou, também, uma manifestação da Falange (partido de extrema direita) em Madrid para o dia do jogo.

O presidente do Congresso, Jesús Posada, já veio colocar de fora a hipótese de o jogo ser adiado, justificando que este tipo de medidas só se devem tomar “em última instância”, com uma convicção “tremenda” e quando “não existe mais remédio”.

Notícia corrigida às 16h22 de 23 de Maio

: Esperanza Aguirre é presidente da Comunidade Autónoma de Madrid e não presidente da Câmara de Madrid.

Sugerir correcção