Fotogaleria
Capa do número 3 da Cadernos d'Obra, lançada em 2011
Fotogaleria
Cadernos d'Obra

Arquitectura: revista Cadernos d'Obra ganha prémio BIAU

Nem só de obras arquitectónicas se fazem os prémios BIAU. Revista portuguesa foi distinguida na categoria de melhor publicação periódica. Tese académica de João Parreira Coelho também foi premiada

Não é uma revista só de Arquitectura nem só de Engenharia. Na Cadernos d’Obra há um “entrosamento multidisciplinar” das duas áreas e é essa a “grande mais-valia” do projecto.

A avaliação é da coordenadora editorial, Bárbara Rangel, que acredita que terá sido esta particularidade que convenceu o júri da VIII edição da Bienal Ibero-Americana de Arquitetura e Urbanismo (BIAU), que deu à Cadernos d’Obra o galardão na categoria “publicação periódica”. Um prémio para juntar às seis obras arquitectónicas portuguesas também distinguidas nesta edição, onde Portugal foi o país com mais galardões. 

A distinçaõ da Cadernos d'Obra foi conseguida entre 230 propostas, do qual saíram prémios para três livros, três publicações periódicas e um programa de rádio. Também trabalhos de investigação foram analisados pelo júri, que distinguiu entre 72 propostas a tese académica de João Rodrigo Parreira Coelho, “Formas e desígnios do espaço público na cidade contemporânea. O projecto do espaço público na construção da cidade: casos portugueses”, que o português defendeu em Janeiro deste ano na Universidade do Porto.

Bárbara Rangel, a coordenadora da Cadernos d’Obra, é uma arquitecta entre engenheiros, a trabalhar na Gequaltec, unidade de investigação da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). E a fazer cair mitos: engenheiros e arquitectos sempre às turras? “Já não é bem assim.”

Revista anual bilingue

Essa é a luta da Cadernos d’Obra, revista anual bilingue com uma tiragem de mil exemplares que tem sempre um edifício como tema central. É a partir da extensa entrevista ao arquitecto da obra eleita que se desenvolve o resto: análise do projecto, artigos científicos de temas que a obra sugere.

A quarta edição, com lançamento previsto para Setembro e com o Museu dos Coches como tema central, vai estreitar ainda mais a relação entre Arquitectura e Engenharia: há entrevistas a Paulo Mendes da Rocha (arquitecto) e a Rui Furtado (engenheiro).

O prémio da BIAU vai acelerar provavelmente acelera a expansão para o “mundo ibérico e latino americano”. A revista está, para já, à venda em Portugal e Espanha e o objectivo é fazê-la chegar ao Brasil, Chile e Estados Unidos. Por 20 euros.

Os rebentos da Cadernos d'Obra

Além da revista anual, o projecto da FEUP tem ainda a Sebentas d'Obra, um projecto trimestral que nasceu por sugestão da Ordem dos Engenheiros. Pediram-lhes para organizar conferências, propuseram fazer uma revista que fosse complementar a esses eventos. A próxima edição – que deve estar pronta antes do Verão - vai sair da cidade do Porto e viajar até à capital, mas a obra protagonista ainda não foi revelada.

No dia 31 de Julho, estará disponível A Livros d'Obra, que vai centrar-se no tema “fissurações de fachadas”. Com uma tiragem de 500 exemplares, tal como a Sebentas d'Obra, o projecto faz pequenos “livros técnicos sobre temas específicos de construção”.

A BIAU, organizada pelo Ministério do Fomento espanhol, decorre de 10 a 14 de Setembro, em Cádiz, Espanha.