Futebol

Leonardo Jardim: "O Sp. Braga, para ser viável, tem que vender jogadores"

Leonardo Jardim quer o Sp. Braga a lutar pelos primeiros lugares da Liga
Foto
Leonardo Jardim quer o Sp. Braga a lutar pelos primeiros lugares da Liga Foto: Mustafa Ozer/Reuters

O treinador de futebol do Sporting de Braga, Leonardo Jardim, disse nesta segunda-feira que, apesar do clube ter que vender jogadores para ser viável, tem que ter qualidade para manter a ambição desportiva.

Dizendo-se preparado para perder alguns jogadores no defeso - “espero que não tantos como no início desta época” -, o técnico defendeu, contudo, que isso não pode condicionar a qualidade do plantel da próxima temporada.

“O Braga tem que ter noção que, para ser viável, tem que vender jogadores, mas também que, para ter ambição desportiva, nomeadamente para chegar à fase de grupos da Liga dos Campeões, tem que ter qualidade. É um equilíbrio entre esses dois factores que vai ter que ter” na preparação da próxima temporada, disse.

Jardim, que falava aos jornalistas durante uma entrevista conjunta, fez um balanço positivo da temporada, nomeadamente no campeonato e na Liga Europa, provas onde a equipa alcançou os objectivos a que se propôs, ao contrário do que aconteceu nas taças de Portugal e da Liga, admitiu.

O técnico disse que “foi bom” ter “interferido” na luta pelo título - a equipa terminou em terceiro lugar - e “é nesse espaço” que a equipa quer continuar, assumindo que “um clube como o Braga tem que querer mais”.

“Comparo o Braga às outras três equipas [FC Porto, Benfica e Sporting] em termos de trabalho, ambição e até em valor dos atletas, mas em termos de investimento ainda existem grandes diferenças. Se igualássemos essa variável, éramos candidatos ao título”, disse.

O treinador tem mais dois anos de contrato com os “arsenalistas” e disse pretender cumpri-los, mas notou que “é difícil fazer previsões” e que “o futuro de um profissional de futebol depende de inúmeras variáveis”.

Leonardo Jardim mostrou-se ainda muito satisfeito com a vitória do Chelsea na Liga dos Campeões, o que permitiu ao Sporting de Braga “saltar” a terceira pré-eliminatória directamente para o "play-off", amealhar cerca de dois milhões de euros e ter mais tempo para preparar a temporada.

Agora, “o objectivo tem que ser entrar na fase de grupos, mas vai depender muito do sorteio”, notou.

Sobre as chamadas de Custódio e Miguel Lopes à selecção nacional considerou que “valorizam a estrutura do clube” porque elas não acontecem com assiduidade.

“E com um pormenor importante: são jogadores que não estão habituados a ir, foram pelo que rendimento que apresentaram no campeonato”, notou.

Sobre o Euro 2012, disse que o objectivo maior de Portugal é ser campeão europeu e que o mínimo deve ser passar a fase de grupos, o que acredita que acontecerá.

Considerou ainda que, no nosso país, “muda-se com facilidade de mais de treinador: em Portugal, o treinador tem pouca importância”.