Liga dos Campeões

Jupp Heynckes: “Jogar em casa é uma pequena vantagem, mas nada mais”

Heynckes não considera o Bayern favorito
Foto
Heynckes não considera o Bayern favorito Foto: Reuters

O treinador do Bayern Munique, Jupp Heynckes, deseja que a final da Liga dos Campeões de futebol, sábado, frente ao Chelsea, não seja decidida no desempate por grandes penalidades e avisou contra o excesso de euforia.

“Penso que temos um balanço positivo com equipas inglesas, mas espero que possamos evitar os penáltis. Na minha idade, não sei se o meu coração aguentaria esse tipo de tensão”, brincou o antigo treinador do Benfica, de 67 anos.

O técnico referia-se aos anteriores desempates por penáltis nesta época, diante do Borussia Moenchengladbach e do Real Madrid, respectivamente na Taça da Alemanha e na “Champions”, ambos ganhos pelo Bayern.

Heynckes alertou ainda para os perigos do excesso de entusiasmo por parte de fãs e equipa, cuja final se disputa na própria Arena de Munique, sob arbitragem do português Pedro Proença.

“Não partilho da euforia com que se vem dizendo que o Bayern é favorito. Jogar em casa é uma pequena vantagem, mas nada mais”, adiantou ainda, reconhecendo tratar-se de uma “ocasião histórica” para os bávaros se tornarem a primeira equipa a vencer a Liga dos Campeões no seu recinto.

O técnico germânico falou ainda do seu homólogo do Chelsea, o italiano Roberto Di Matteo, que substituiu o português André Villas-Boas como treinador dos “blues”, aconselhando o dono do clube de Stamford Bridge, o russo Abramovich, a mantê-lo no posto.

“O Chelsea é um clube de topo na Europa e compreendo que queiram ter um treinador com imagem, que já tenha ganho alguma coisa, mas Di Matteo causou-me boa impressão e diria a Abramovich para ficar com ele”, disse.

Sugerir correcção