Por dificuldades de entendimento entre banco central e fundo criado pela troika

BCE deixou de conceder liquidez a quatro bancos gregos até que recapitalizem

O BCE está a criar pressão junto da banca grega, mas pode agravar a actual situação
Foto
Crises bancárias serão geridas de forma diferente no futuro /Kai Pfaffenbach REUTERS

O Banco Central Europeu deixou de conceder liquidez a alguns bancos gregos por não terem conseguido recapitalizar o seu capital, refere a agência Reuters. O BCE recusou-se a comentar.

A situação parece estar a complicar-se na Grécia à medida que surgem dificuldades relacionadas com o sector bancário e sobem as quantias retiradas pelos depositantes, por recearem que a Grécia saia em breve do euro.

O BCE apenas opera com bancos solventes e, “como a recapitalização não estava a ser realizada, o BCE parou as operações monetárias”, referiu à agência Reuters uma fonte que preferiu o anonimato. Essas situações estão agora a cargo da assistência de liquidez de emergência do banco central.

Segundo o jornal Market News International, um órgão de informação que faz parte do grupo que detém a bolsa alemã, as dificuldades de recapitalização devem-se ao facto de o fundo grego de estabilidade financeira – criado pela troika no primeiro programa para a Grécia com o fim de financiar a banca grega – se estar a recusar a entregar o financiamento a quatro bancos gregos, apesar de uma avaliação favorável do banco central da Grécia, considerando esses bancos como elegíveis para receber apoio do fundo.

Um alto responsável grego, citado pelo mesmo jornal, refere que o BCE espera assim colocar alguma pressão sobre os responsáveis gregos para que acelerem o processo. “O tema está em cima da mesa desde Abril e o BCE está a acompanhar a situação desde então, porque os atrasos na recapitalização estão a colocar problemas no balanço do próprio BCE” diz o responsável.

O fundo tinha inicialmente 10 mil milhões de euros, dinheiro que fazia parte do primeiro empréstimo, mas o valor foi aumentado para 18 mil milhões de euros. “Apesar do relatório do Banco da Grécia ter concluído que estes quatro bancos são elegíveis, o fundo recusa-se a injectar os 18 mil milhões de euros e isto está a deixar o BCE muito nervoso”, afirmou ainda o responsável grego. Se a recapitalização é feita e os rácios de capital atingem um certo nível, então poderão de novo ter acesso aos fundos do BCE.