Comércio

Grupo Auchan abre lojas no 1.º de Maio pela primeira vez desde 1970

Jumbo e Pão de Açúcar vão abrir portas no 1º de Maio
Foto
Jumbo e Pão de Açúcar vão abrir portas no 1º de Maio Nuno Oliveira/Arquivo

Pela primeira vez desde 1970, ano em que entrou em Portugal, o grupo francês Auchan decidiu abrir os seus 23 hipermercados Jumbo e 10 lojas Pão de Açúcar no 1º de Maio.

A crise e o facto de outros operadores concorrentes abrirem portas aos feriados, nomeadamente no Dia do Trabalhador, ditaram a decisão.

Numa resposta enviada ao PÚBLICO por e-mail, fonte oficial da empresa começa por dizer que “o grupo Auchan constatou que, no dia 1 de Maio de 2011, a generalidade das lojas estiveram abertas”. Assim, “pela primeira vez desde a sua implantação em Portugal e devido à conjuntura económica que o país atravessa foi tomada a decisão de também abrir as lojas Jumbo e Pão de Açúcar, na próxima terça-feira”.

A decisão já motivou protestos em Almada. A Assembleia Municipal aprovou por unanimidade uma moção onde pede à administração da Auchan que reconsidere e não abra o hipermercado que existe nesta localidade. Os deputados municipais pedem à empresa que deixe “as suas trabalhadoras e trabalhadores” usufruir do 1º de Maio.

Certo é que as lojas vão funcionar no horário habitual de feriado “para dar resposta positiva” aos clientes da cadeia de retalho alimentar. Os consumidores, diz a empresa, habituaram-se a poder fazer compras também neste dia “dado o número crescente de lojas que a cada ano optam por estar em funcionamento”.

O grupo Auchan emprega cerca de nove mil pessoas em Portugal.

Sindicatos convocam greve

Entretanto, a Federação Portuguesa dos Sindicatos do Comércio e Serviços (FEPCES) convocou uma greve para amanhã para que “todos os trabalhadores possam comemorar o Dia Internacional do Trabalhador”. Contudo, acusa as cadeias Pingo Doce e Continente de não respeitarem o direito à paralisação. A FEPCES diz que os funcionários estão a ser “ameaçados pelas chefias com faltas injustificadas”, caso não compareçam amanhã ao trabalho.

Fonte da Sonae, dona do Continente (e do PÚBLICO) contesta a acusação e diz que a informação divulgada pela FEPCES “não é verdadeira”. “Privilegiando a defesa dos interesses dos portugueses, do sector e dos seus colaboradores, a Sonae MC vai abrir as suas unidades no dia 1 de Maio, nos mesmos termos do ano passado”, diz a empresa. Em 2011 todas as unidades do grupo abriram portas “demonstrando a vontade e o interesse da esmagadora maioria dos colaboradores”.

O PÚBLICO contactou o grupo Jerónimo Martins, que detém o Pingo Doce, mas não vai ser possível obter um comentário. Os escritórios da empresa estão hoje encerrados.