Futebol

Dois portistas decisivos no haraquiri benfiquista

Atsu, o marcador do primeiro golo do Rio Ave
Foto
Atsu, o marcador do primeiro golo do Rio Ave Foto: Miguel Vidal/Reuters

A esperança não era muita e o empenho chegou na mesma dose. Com uma exibição permissiva a defender e uma opção falhada de Jorge Jesus, o Benfica viu esfumar-se as poucas aspirações em conquistar o título nacional. Atsu e Kelvin, emprestados pelo FC Porto ao Rio Ave, tiveram um papel decisivo no empate a dois golos.

Jorge Jesus apostou na fórmula de há uma semana contra o Marítimo. O treinador colocou em campo o mesmo “onze”, apenas com uma alteração: Saviola saiu, entrou Witsel. Matic, Capdevila e Nolito continuaram na equipa.

Os “encarnados” não estavam, porém, preparados para a “armadilha” montada por Carlos Brito. O técnico vilacondense sentou pela segunda vez nesta época João Tomás no banco e apostou numa frente de ataque de velocistas (Yazalde, Kelvin e Atsu).

Com três setas apontadas à baliza de Artur, o Rio Ave aproveitou bem o espaço que o Benfica deu, através de contra-ataques e, aos 8’, um brinde de Luisão resultou no primeiro golo, apontado por Atsu. Apesar de mostrar sempre fragilidades na defesa, o Benfica reagiu e antes do intervalo, com justiça. deu a volta ao marcador: Nolito (37’) e Cardozo na transformação de um penálti (40’).

Em vantagem, Jesus trocou ao intervalo Matic por Saviola e a aposta custou caro ao Benfica.

Logo aos 50’, após assistência de Kelvin, Yazalde fez o 2-2 e, até Jesus voltar a equilibrar a equipa com as entradas de Javi e Gaitán, o Benfica passou um mau bocado.

Remediado o erro, o Benfica ainda pressionou, mas os tiros finais esbarraram em Huanderson, que segurou um preciso ponto para o Rio Ave e ofereceu aos portistas, ao contrário do que Pinto da Costa queria, o título no sofá.

Ficha de jogo

Rio Ave, 2Benfica, 2

Rio Ave

Huaderson, Jean Sony, Gaspar, Jeferson, Tiago Pinto, Bruno China, Tarantini (Braga, 64), Vítor Gomes, Kelvin (Mendes, 85), Yazalde (João Tomás, 89) e Christian Atsu. Treinador: Carlos Brito

Benfica

Artur, Maxi Pereira, Garay, Luisão, Capdevila, Matic (Saviola, 46), Axel, Aimar (Javi Garcia, 69), Bruno César (Gaitan, 72), Cardozo e Nolito. Treinador: Jorge Jesus

Árbitro

Olegário Benquerença (AF Leiria).

Amarelos

Tiago Pinto (15), Maxi Pereira (38), Matic (42), Nolito (53), Capdevila (55), Kelvin (66), Braga (73), Jeferson (77) e Javi Garcia (78).

Golos

1-0, Christian Atsu, aos 8'


1-1, Nolito, aos 37'


2-1, Cardozo, aos 40 (grande penalidade).


2-2, Yazalde, aos 50'


Notícia actualizada às 22h35
Sugerir correcção