"Demos a volta às adversidades", diz Sá Pinto

O grito de Sá Pinto durante o jogo
Foto
O grito de Sá Pinto durante o jogo Foto: Gregorio Cunha/AFP

O treinador do Sporting lembrou a expulsão de Rubio e a média de idades baixa da sua eqiupa. Caixinha destacou o jogo da sua equipa: "O Nacional joga futebol até dizer chega".

Sá Pinto, treinador do Sporting

“Jogámos num terreno difícil, complicado, contra uma boa equipa, bem orientada e com boas ideias de jogo.

Tivemos adversidades que complicaram o desenrolar do jogo, como a expulsão [de Rubio, aos 59’], o segundo golo num lance com imensa sorte [de Keita]. O jogo complicou-se a partir daí.

Há que destacar o comportamento das três equipas, estiveram à altura, foi um bom jogo, competitivo. E a nossa equipa mostrou uma atitude extraordinária, de saber sofrer em alguns momentos. Acreditámos atá final.

Entrámos com uma média de idade de 23 anos (com o Leiria foi de 22), muito jovem e com talento. O segredo é o trabalho e os valores que passamos diariamente, a atitude é uma pequena coisa que faz grandes diferenças nos resultados. Este é um jogo colectivo e não há que individualizar as suas metas, é um compromisso comum diário.

Vamos ter tempo para pensar e para nos concentrarmos no importante jogo que é na quinta-feira [contra o Athletic Bilbau].”

Pedro Caixinha, treinador do Nacional

“Quem marca mais golos, ganha. A nossa equipa foi claramente a única que jogou o jogo pelo jogo. Não abdicou da sua identidade.

É uma equipa média mas joga à equipa grande. Olhamos nos olhos os adversários.

Entrámos apáticos, demos espaços, sofremos um golo com alguma felicidade, [o adversário] fez o segundo.

Os jogadores foram tremendos. Foi o nosso melhor esta época, o Nacional joga futebol até dizer chega.

Não me lembro de uma única defesa do nosso guarda-redes…

Faltam 9 pontos, estamos a 7 do sexto lugar [posição que pode dar um lugar na Europa se o Sporting vencer a Taça de Portugal]. Podemos acreditar também.”

Carriço, jogador do Sporting

Com a expulsão tivemos de baixar o bloco. Estamos muito determinados, somos uma equipa forte e coesa, todos a remar para o mesmo lado é complicadíssimo bater o Sporting.

Agora temos a meia-final europeia. Para este jogo mudámos o chip, são competições diferentes, sabíamos que o Nacional era complicado, estes três pontos são o objectivo.

Candeias, jogador do Nacional

“Temos uma equipa forte, mas encontrámos uma equipa também forte. Tivemos um pouco de azar, o Marcelo fez algumas boas defesas. O empate seria o mais justo”