FC Porto

Mourinho revela como Pinto da Costa o convenceu a ficar em 2003

Mourinho, tal como Villas-Boas, escreveu um artigo na revista do FC Porto
Foto
Mourinho, tal como Villas-Boas, escreveu um artigo na revista do FC Porto Foto: DR

José Mourinho esteve para sair do FC Porto em 2003, após a conquista da Taça UEFA, mas ficou mais um ano depois de Pinto da Costa o ter desafiado a conquistar a Liga dos Campeões no ano seguinte.

A revelação é feita pelo actual treinador do Real Madrid, num artigo escrito para revista “Dragões, a propósito dos 30 anos de Pinto Costa na presidência do FC Porto.
“Na semana que se seguiu à final da Taça UEFA, estava eu de saída, estava Deco de saída. Chamou-me e sentou-se comigo. Perguntou-me se não sentia que poderia ganhar a Champions... Como sempre, acertou na “mouche”. Tocou-me no orgulho”, confessa Mourinho, revelando o que Pinto da Costa lhe disse.

““Mister, prometo que só vendemos um jogador e que não será Deco. Prometo que lhe daremos outro em sua substituição e que será o mister a escolher”. “Ok, Presidente! Vendemos o Postiga e vamos buscar o McCarthy”, acrescenta Mourinho, que, pela primeira vez, conta que esteve sair do clube logo após a conquista da Taça UEFA.

“O Homem sabia que eu não poderia virar as costas a um desafio e tocou-me na ferida. Fiquei mais um ano. O Homem tinha razão, podíamos ganhar a Champions. Agradeço-lhe por esse poder de persuasão, pela inteligência com que o usou, algo apenas possível nos eleitos”, escreve Mourinho, que, apesar de confessar “não ter nascido portista”, coloca o presidente do FC Porto entre os melhores.

“É que, tal como há um grupo de eleitos entre os jogadores, entre treinadores, também há um grupo de eleitos entre dirigentes. E aqui, Pinto da Costa ocupa seguramente a nível mundial uma posição no topo”, escreve Mourinho.

Na edição comemorativa da revista Dragões, que estará à venda nas lojas do clube e no jogo de sábado com o Beira-Mar, outro ex-treinador portista também tece elogios a Pinto da Costa.

André Villas-Boas revela algumas das frases que Pinto da Costa lhe dirigiu em momentos-chave da época passada, quando conquistou quatro títulos pelo clube. Quando o convidou para ser treinador, perguntou-lhe “Estás preparado?”.

“Apagou-se a Luz, ficaram as trevas” (quando o FC Porto conquistou o título na Luz), “Que gozo que me deu” (após o 1-3 para a segunda mão da meia-final da Taça na Luz) e “André, dá cá um abraço” (após a final da Liga Europa, conquistada em Dublin) são algumas das frases que Villas-Boas atribui a Pinto da Costa.