Futebol

PJ investiga árbitro auxiliar por depósito bancário antes do Sporting-Marítimo

José Cardinal (à direita) é árbitro assistente internacional e esteve no Mundial 2010
Foto
José Cardinal (à direita) é árbitro assistente internacional e esteve no Mundial 2010 Foto: Roberto Schmidt/AFP

Um depósito de dois mil euros na conta bancária do árbitro assistente José Cardinal, dias antes de um jogo entre o Sporting e o Marítimo para a Taça de Portugal, está na origem de uma investigação da Polícia Judiciária.

A notícia foi avançada nesta quarta-feira pelo Diário de Notícias, referindo que o Sporting recebeu uma denúncia anónima e comunicou o caso à Federação Portuguesa de Futebol que, por sua vez, o encaminhou para a Procuradoria-Geral da República e a Polícia Judiciária.

O PÚBLICO confirmou que, de facto, a FPF teve conhecimento do caso e o comunicou à PGR e à Judiciária.

O director de comunicação da FPF disse ao PÚBLICO que a entidade não faz comentários sobre este tema.

“Está em averiguações, em segredo de justiça. Não podemos fazer declarações adicionais às que já fizemos”, reagiu, por sua vez, Godinho Lopes, presidente do clube de Alvalade, à margem de uma conferência de imprensa, confirmando, assim, que está a ser feita uma investigação.

O Marítimo, para já, não comenta o tema.

O PÚBLICO aguarda, por outro lado, um comentário da Polícia Judiciária sobre esta investigação.

Segundo o DN, foram depositados na conta de José Cardinal dois mil euros em notas, num banco da Madeira, dias antes do jogo entre o Sporting e o Marítimo, dos quartos-de-final da Taça de Portugal, que decorreu a 22 de Dezembro de 2011, em Alvalade, e que os “leões” venceram por 3-0.

O mesmo jornal diz que a Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ está a investigar se o património de José Cardinal é compatível com os seus rendimentos.

"Se calhar, o melhor é fazer como o senhor Cardinal e ficar em casa"

A FPF terá tido conhecimento desta denúncia ainda antes do jogo, o que levou à substituição do árbitro assistente, então justificada por motivos pessoais. Esse jogo foi dirigido por Artur Soares Dias e terminou com críticas do Marítimo à arbitragem e uma curiosa referência do técnico insular a José Cardinal.

“Se calhar, o melhor é fazer como o senhor Cardinal [árbitro assistente] e ficar em casa”, desabafou Pedro Martins, que se queixou da expulsão de um jogador do Marítimo.

José Cardinal tem 45 anos, está filiado na Associação de Futebol do Porto e é árbitro desde 1990-91. Na sua ficha na Liga Portuguesa de Futebol Profissional, é apresentado como funcionário dos CTT, embora o DN diga que o árbitro assistente deixou os quadros dos Correios para se dedicar em exclusivo à arbitragem.

Nesta temporada, em que tem feito parte da equipa de arbitragem chefiada por Carlos Xistra (que foi um dos arguidos no Apito Dourado), Cardinal esteve presente em nove jogos da I Liga, seis da II Liga e um da Taça da Liga – destes 16 encontros, dez deles ocorreram já depois do referido jogo Sporting-Marítimo.

José Cardinal é também árbitro assistente internacional, tendo estado, por exemplo, na fase final do Euro 2004 e Mundial 2010.

O PÚBLICO tentou ainda ouvir uma reacção da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), mas o presidente Gustavo Sousa não atendeu o telefone.

Notícia actualizada às 17h46