Kondoot foi criado por Mark Cracknell e Nathan Hoad, de 21 e 25 anos extranoise/ Flickr
Foto
Kondoot foi criado por Mark Cracknell e Nathan Hoad, de 21 e 25 anos extranoise/ Flickr

Kondoot: nova plataforma de partilha de vídeos em directo

Uma nova rede social de partilha de vídeos em tempo real foi criada na Austrália e já funciona em 137 países. A ideia é mostrar o que se está a fazer em directo e criar redes de interacção

Mark Cracknell e Nathan Hoad, de 21 e 25 anos, são os dois australianos responsáveis pela criação de uma nova rede social. O Kondoot é um site que pretende combinar o carregamento e partilha de vídeos com a transmissão em directo de acontecimentos por qualquer pessoa.

Já com presença em 137 países, o objectivo é ir mais além do tão conhecido YouTube. A ideia é incentivar os membros registados na comunidade da rede a partilharem vídeos em directo de diferentes acontecimentos da sua vida.

Pode tratar-se de uma partilha de um concerto em tempo real ou simplesmente de um evento ao acaso na cozinha lá de casa. Para os músicos, os criadores do site também oferecem a possibilidade de vender bilhetes "virtuais" para concertos transmitidos em directo na plataforma. Nestes casos, para assistir "virtualmente" ao espectáculo, o utilizador tem de comprar o bilhete e entrar no site durante a transmissão.

PÚBLICO -
Foto
Já com presença em 137 países, o objectivo é ir mais além do tão conhecido YouTube DR

"Apps" para iPhone e Android

Já estão desenvolvidas aplicações para iPhone e Android e o site permite aos utilizadores pesquisar qualquer evento ou pessoa, "seguir" esses membros e comentar à medida que vêem os vídeos.

"Os grandes como o Facebook e Google+ trabalham na área social, o Livestream e Ustream na área do vídeo. Nós queremos combinar as duas", explica ao CNET o co-fundador Mark Cracknell. No final de Março, o serviço disponibilizou uma nova funcionalidade: agora não é só possível transmitir em directo acontecimentos, como também filmá-los e fazer o "upload" posterior para o site.

A dupla passou 16 meses a pensar e preparar a plataforma, que ficou disponível nos Estados Unidos da América em dezembro. A expansão a outros países ainda decorre, mas o site já tem uma adesão forte nos EUA e Ásia. Ainda não há dados sobre o número de utilizadores mas os jovens contam com a ajuda do Facebook para divulgarem o projecto.

Sugerir correcção