Liga dos Campeões

Há um árbitro debaixo de fogo e não é português

Messi foi um dos jogadores que mais vezes foi ao chão em San Siro
Foto
Messi foi um dos jogadores que mais vezes foi ao chão em San Siro Foto: Lluis Gene/AFP

O jogo entre o Milan e o Barcelona, da quarta-feira, dos quartos-de-final da Liga dos Campeões ficou marcado pela polémica em torno do juiz da partida. Os catalães queixam-se de dois penáltis não assinalados.

Pep Guardiola, treinador do Barca, foi o mais contido, limitando-se a afirmar no final do jogo que o sueco Jonas Eriksson “não viu” a falta do guarda-redes Abbiati sobre Alexis Sanchez.

Bem mais contundente foi a generalidade da comunicação social espanhola e os jogadores catalães. O jornal “Sport” mostra uma foto do chileno a ser rasteirado pelo guardião italiano perguntando: “É penálti, agora?”

“Eriksson não viu um penálti enorme sobre o chileno”, sublinha o diário desportivo “AS”. O outro lance que origina a ira do Barcelona foi um puxar de camisola de Puyol por parte do defensor do Milan, Mesbah. Um lance também bem documentado com fotos em que se vê o equipamento do defesa do Barca bem esticado e preso na mão do milanista.

Lances evidentes e que levaram o jornal “Mundo Deportivo” a escrever que o “árbitro fechou os olhos a vários penáltis”.

Já o diário “Marca” foi o mais comedido: “Os ‘blaugrana’ têm razões de queixa em dois penáltis não assinalados”. Mas para esta publicação, mais próxima do Real Madrid, “o Milan mostrou-se à altura dos seus adversários”.