Dados do Banco de Portugal

Dívida das administrações públicas subiu 6,3 mil milhões em Janeiro

Dívida da administração central está a aumentar
Foto
Dívida da administração central está a aumentar Sara Matos

O sector público está cada vez mais endividado. No primeiro mês do ano, a dívida das administrações públicas disparou 3%, atingindo 218,9 mil milhões de euros.

De acordo com o Boletim Estatístico do Banco de Portugal, hoje divulgado, a dívida das administrações públicas aumentou em 6,3 mil milhões em Janeiro, o que representa uma subida de 3% face ao mês anterior.

A contribuir para esta subida esteve, sobretudo, o crescente endividamento da administração central, que aumentou em 3,2% para os 205,4 mil milhões de euros – um reflexo dos próprios empréstimos da troika no âmbito do programa de ajuda externa ao país.

O endividamento da administração regional e local diminuiu ligeiramente em Janeiro (-0,1%), para os 13,4 mil milhões. O mesmo aconteceu com as empresas públicas, que reduziram a sua dívida em 268 milhões de euros.

O programa da troika prevê que a dívida pública portuguesa atinja o seu pico mais alto – 118% do Produto Interno Bruto (PIB) – em 2013, para depois começar gradualmente a estabilizar.

Economia cada vez menos endividada

Os dados do Banco de Portugal mostram também que está em curso o processo de desalavancagem da economia.

Em Janeiro, o endividamento dos particulares caiu 0,4% - cerca de 774 milhões de euros – para um valor acumulado de 174,5 mil milhões. É o valor mais baixo desde meados de 2009, em plena crise financeira internacional.

Já a dívida das empresas, apesar de ter aumentado ligeiramente no início do ano (0,3%), tem vindo a diminuir, fixando-se nos 304,5 mil milhões de euros.

Esta tendência reflecte, não só, a menor procura de crédito por parte das famílias e das empresas, mas também as crescentes restrições da banca ao financiamento e a menor concessão de empréstimos.