Futebol

Fernando Gomes satisfeito com final da Liga dos Campeões no Estádio da Luz

Uma final europeia era um dos compromissos eleitorais de Fernando Gomes
Foto
Uma final europeia era um dos compromissos eleitorais de Fernando Gomes Foto: Enric Vives-Rubio

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, considerou como “um reconhecimento” do futebol luso a atribuição da final da Liga dos Campeões de 2014 ao Estádio da Luz, em Lisboa.

“Claramente é um reforço da nossa presença e do respeito que a Federação tem junto das instâncias do futebol europeu. Não podemos deixar de continuar a traçar este trilho, no sentido de cada vez mais estarmos presentes dos organismos que regem o futebol mundial. Portanto, é acima de tudo, o reconhecimento de tudo aquilo que o futebol português representa e o reconhecimento da enorme capacidade que Portugal tem para organizar eventos de elevado prestígio”, disse, em declarações ao sítio oficial do organismo.

Fernando Gomes lembrou que acolher uma final europeia era um dos seus compromissos eleitorais, congratulando-se ainda por acontecer no ano em que o organismo comemora o seu centenário, considerando que “é o reconhecimento da enorme capacidade que a FPF tem, juntamente com os elementos que a compõem, para estar envolvida na organização de tão elevada qualidade como é a final da Liga dos Campeões”.

“Por outro lado, o facto de esta atribuição nos dar a possibilidade de integrar este evento nas comemorações do centenário da própria federação e, de alguma forma, elevar a qualidade das cerimónias”, disse.

Fernando Gomes recordou que “a evolução do futebol português tem sido marcante” e que, “nos últimos anos, várias equipas marcaram presença nas fases finais das competições, inclusivamente em finais da Liga Europa e da Liga dos Campeões, incluindo com títulos”.

“Se uma ou duas equipas portuguesas poderem disputar a final em Portugal, seria um feito inédito. No ano passado, vimos duas equipas portuguesas na final da Liga Europa. Em 2005, tivemos em Alvalade, a presença de uma equipa portuguesa na final da Taça UEFA. Concretizar esse sonho seria marcante para o futebol português. Seria uma demonstração cabal da sua capacidade do ponto de vista competitivo e organizativo”, afirmou.

O líder federativo garantiu ainda que “dentro das medidas das capacidades financeiras” da FPF, o organismo não deixará de se candidatarmos a todos os eventos, porque Portugal tem “excelentes infra-estruturas”.