Autarquias

CDS-PP ensaia uma candidatura ao Porto e Rui Moreira é o favorito

Rui Moreira poderá vir a enfrentar Menezes no Porto
Foto
Rui Moreira poderá vir a enfrentar Menezes no Porto Nelson Garrido

Paulo Portas já terá sondado Rui Moreira. Destacado dirigente do PSD diz que o CDS está a agitar fantasma para ganhar força negocial.

Com Luís Filipe Menezes dado como praticamente certo na corrida à Câmara do Porto, o CDS-PP começa a fazer contas, abrindo espaço à apresentação de uma lista própria às eleições autárquicas de 2013. Rui Moreira, presidente da Associação Comercial do Porto (ACP) e da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU), que em 2001 recuou protagonizar uma candidatura ao Porto, pode agora vir a encabeçar a lista do PP como independente.

O jornal i garantia ontem que Paulo Portas, que é seu amigo pessoal, já o terá desafiado a concorrer ao Porto, contando com o apoio dos centristas. Pedro Moutinho, presidente da concelhia do PP-Porto, já disse que não pretenderá apoiar uma candidatura do ainda presidente da Câmara de Gaia ao Porto, o que significa que em 2013 o PSD poder-se-á apresentar sozinho a votos, concorrendo, assim, contra o CDS-PP, o seu parceiro de coligação com quem há dez anos fez uma aliança para eleger Rui Rio.

Também Paulo Portas não parece mostrar grande entusiasmo por uma eventual candidatura de Menezes, pelo que pretenderá convencer Rui Moreira, por considerar tratar-se de um bom candidato independente. Num encontro com militantes, Portas admitiu, pela primeira vez, a possibilidade de os democratas-cristãos concorrerem com uma lista autónoma em 2013. Porém, o timing escolhido surpreendeu muita gente, incluindo militantes, e provocou um profundo mal-estar no PSD. Ricardo Almeida, líder da concelhia portuense social-democrata, não perdeu tempo a reagir, afirmando que "o CDS já tem o seu candidato próprio, que foi escolhido pelo presidente do partido. O CDS e Rui Moreira escolheram o seu caminho", declarou Almeida, sublinhando que as afirmações de Portas foram feitas após um encontro de militantes, no qual esteve Rui Moreira e que não afastou a possibilidade de vir a ser candidato.

Até há pouco tempo, o presidente da Associação Comercial do Porto fazia parte de uma lista de cinco potenciais candidatos do recém-eleito presidente da concelhia do PSD-Porto. Mas Ricardo Almeida tratou já de o riscar da lista de candidatos apoiados pelos sociais-democratas e da qual fazem parte Luís Filipe Menezes, Marco António Costa, Paulo Rangel e José Pedro Aguiar-Branco. "O PSD terá o seu próprio candidato e não o do CDS", afirma Almeida.

Um destacado dirigente do PSD disse que a estratégia do CDS não passa de um exercício de medição de forças. Politicamente está a dizer que não vai aceitar qualquer candidato. Se o CDS não tivesse um hipotético candidato, ficaria numa situação mais fragilizada em termos de uma futura coligação com o PSD. Assim, tem um fantasma de um candidato para aterrorizar o seu parceiro de coligação, adiantou a mesma fonte, rematando que o CDS está a jogar as cartas que tem, no sentido de maximizar as coisas, porque sabe que o potencial candidato pode provocar estragos. Rui Moreira é uma pessoa com altos níveis de popularidade e gerador de um largo consenso no Porto. A mesma fonte critica severamente o líder da concelhia do PSD/Porto por ter reagido a Paulo Portas.

Rui Moreira, que se foi aproximando de Rui Rio nos últimos tempos, não fala sobre o assunto. E tudo indica que assim vai continuar, pelo menos até que Luís Filipe Menezes anuncie que é candidato à Câmara do Porto.

Em vésperas de congresso, também os sociais-democratas optam pelo silêncio. "O que nos interessa saber é quem vai ascender à vice-presidência do PSD, quem são os que saem, os que entram e quem vai ser o próximo secretário-geral", declarou ontem ao PÚBLICO fonte social-democrata, garantindo que o partido está agora um pouco suspenso por causa do congresso.