Polémica sobre gestão das verbas do QREN

Álvaro Santos Pereira em reunião inesperada com Pedro Passos Coelho

Álvaro Santos Pereira, ao lado de Passos Coelho e Miguel Relvas
Foto
Álvaro Santos Pereira, ao lado de Passos Coelho e Miguel Relvas Rui Gaudêncio

O ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, iniciou uma reunião às 17 h com o primeiro-ministro, segundo avançou o site do Jornal de Negócios e foi confirmado pelo PÚBLICO junto do Governo. Segundo a Lusa, o PS requereu esta tarde a presença, com carácter de urgência, no Parlamento, do ministro responsável pela gestão do QREN.

A mesma fonte adiantou à Lusa que o Grupo Parlamentar do PS pretende explicações “urgentes” sobre “o ponto da situação na sua execução, tendo em conta notícias vindas a lume e não desmentidas da existência de graves perturbações nos projectos financiados no seu âmbito”.

Neste ponto, os socialistas fazem alusão a notícias sobre uma alegada disputa dentro do Governo entre os ministros de Estado e das Finanças, Vítor Gaspar, e o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, em torno da gestão dos fundos do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).

Domingo, de madrugada, em conferência de imprensa, o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou que o ministro de Estado e das Finanças terá “uma palavra” decisiva na gestão do QREN, embora a sua coordenação pertença ao ministro da Economia.

O site do Jornal de Negócios, avançou que o primeiro-ministro e o ministro da Economia estão reunidos desde as 17h em São Bento.

O Grupo Parlamentar do PS diz que “decidiu enviar este requerimento ao gabinete do primeiro-ministro “dada a indefinição evidente sobre o membro do governo que coordena a execução dos fundos comunitários, factor determinante no apoio à economia e às famílias no momento de crise que Portugal atravessa”.

Está previsto que o ministro da Economia seja o orador convidado do jantar de debate da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), com inicio programado para as 20h de hoje.

Notícia actualizada às 18h32

Acrescenta que a notícia avançada pelo

site

do Jornal de Negócios foi confirmada pelo PÚBLICO.