Resultados anuais

Lucro da EDP Renováveis cresce 10% em 2011

A produção de electricidade da EDP Renováveis aumentou 17% em 2011, face ao ano anterior
Foto
A produção de electricidade da EDP Renováveis aumentou 17% em 2011, face ao ano anterior Rui Gaudêncio

A EDP Renováveis terminou o ano passado com um resultado líquido de 89 milhões de euros e receitas de 1069 milhões de euros, mais 13% que em 2011.

De acordo com o comunicado hoje enviado pela empresa aos mercados, para o resultado contribuíram vários factores, incluindo duas actualizações contabilísticas - uma das quais relativa à extensão da vida útil dos activos da EDP, que teve um impacto líquido positivo de 55 milhões de euros.

Outra alteração contabilística, esta relativa ao reconhecimento de passivos líquidos nos EUA, pesou negativamente em seis milhões de euros para o exercício de 2011.

Por outro lado, a companhia que era até agora liderada por Ana Maria Fernandes indica que a reavaliação de alguns activos e passivos na Europa e também a alienação de activos financeiros permitiram ganhos não recorrentes de 21 milhões de euros.

Em contrapartida, houve um impacto negativo de 78 milhões de euros devido a vários acontecimentos não recorrentes, que não são comparáveis com o exercício de 2011. O montante maior diz respeito ao registo de várias amortizações (41 milhões de euros) e ainda a diferenças cambiais negativas (22 milhões de euros).

Já o EBITDA cresceu 12% em 2011, para 801 milhões de euros, com destaque para os negócios da empresa na Europa, onde estes resultados cresceram 17%. É na Europa que a EDP Renováveis tem a principal base para as suas operações, onde estas representam 78% dos resultados operacionais (EBITDA).

Nos EUA, deu-se um decréscimo de 6%, com a empresa a perder 18 milhões de euros face a 2010. O país representa um terço da operação, estando os restantes 2% no Brasil.

O aumento do EBITDA deveu-se ao crescimento da produção de electricidade da empresa, que centra a sua actividade na produção eléctrica de origem eólica, e que aumentou em 17%. Por outro lado, o preço médiu de venda caiu 1% face ao ano anterior, "devido à desvalorização do dólar e ao maior peso relativo da produção dos EUA vendida a preços abaixo do preço médio da carteira de activos", indica a empresa.

Os resultados anuais da participada da EDP foram comunicados no mesmo dia em que se oficializa a passagem de João Manso Neto para a liderança da empresa. O novo presidente executivo da EDP Renováveis substitui Ana Maria Fernandes, que por sua vez irá assumir as operações da EDP no Brasil.

Sugerir correcção