Futebol

Villas-Boas: “Não encaro voltar ao FC Porto num futuro próximo”

Villas-Boas
Foto
Villas-Boas Foto: Phil Noble/AFP

O treinador do Chelsea, André Villas-Boas, garantiu nesta segunda-feira, em entrevista à rádio TSF, que o regresso ao FC Porto nos tempos mais próximos não está nos seus planos. O técnico esclareceu que a sua presença junto a Pinto da Costa no camarote no dia do jogo com o Manchester City só teve a ver com a oportunidade “de assistir a um jogo do clube do coração”. Nesta altura, vincou, nem o Barcelona o faria abandonar o projecto Chelsea.

“Fui convidado pelo presidente para estar ao seu lado. Com grande orgulho. Regressar ao FC Porto, a casa, será sempre um orgulho, se alguma vez tiver essa oportunidade. Mas não encaro isso num futuro próximo. Sinto-me muito motivado, estou demasiado envolvido com o que quero construir. Esta mudança de ciclo que estou a tentar é uma realidade e o futuro será excelente, da forma como eu e o dono [Abramovich] perspectivamos”, disse Villas-Boas, adiantando que o actual treinador dos “dragões” “é um amigo”. “Separámo-nos profissionalmente, mas é com satisfação que o vejo treinar o meu clube”.

André Villas-Boas reconheceu ainda que o sentimento de estar sentado no banco do Chelsea é muito diferente daquele que sentiu no Dragão. “No FC Porto sentava-se o treinador adepto e profissional, aqui senta-se o treinador profissional”, explicou, adiantando que o facto de conhecer muito bem o campeão português foi uma arma muito forte. “É única e ocasionalmente está ao alcance dos treinadores. É o caso actual do Guardiola no Barcelona. Essa é uma arma que não encontro aqui”, referiu, explicando que abandonou o FC Porto devido ao estímulo de estar na Premier League.

O plantel do Chelsea, assinalou, não é um problema. Não sente que os jogadores estejam contra si e negou que os adeptos do clube tenham gritado pelo nome de José Mourinho. “Quem gritou foram os adeptos do Birmingham”, afirmou, antes de referir que jogadores como Moutinho, Álvaro Pereira, Hulk ou Falcao podiam jogar em Stamford Bridge. E foi mais longe, ao considerar que o brasileiro poderá encaixar numa vaga que está por preencher no plantel dos blues.