Propostas foram anunciadas na cerimónia de abertura do Laboratório de Curadoria, na antiga fábrica da ASA Adriano Miranda
Foto
Propostas foram anunciadas na cerimónia de abertura do Laboratório de Curadoria, na antiga fábrica da ASA Adriano Miranda

Projectos do “Performance Architecture” privilegiam participação dos cidadãos

As cinco propostas de intervenções urbanas do concurso foram seleccionadas este sábado. "Apropriação da cidade" e "participação activa do público" são os temas-chave

As propostas de intervenções urbanas escolhidas pelo concurso "Performance Architecture", ao abrigo da Capital Europeia da Cultura (CEC) Guimarães 2012, “privilegiam” a participação activa da população numa iniciativa que o responsável, Pedro Gadanho, apelida de “apropriação da cidade”. As cinco propostas seleccionadas foram anunciadas este sábado na cerimónia de abertura da nave central da antiga Fábrica ASA, reabilitada no âmbito do Laboratório de Curadoria da CEC.

Em entrevista à Agência Lusa, o responsável pelo desafio motivou a população a apresentar sugestões para modificar espaços públicos em Guimarães. Pedro Gadanho definiu como critério principal na escolha das propostas a “intervenção da população”. “O conceito que estava lançado apontava para haver apropriação da cidade por formas, programas e ideias que sugerissem uma participação activa do público”, explicou. Aliás, revelou Pedro Gadanho, “as propostas selecionadas são as que apontam para maior interactividade, um maior convite à utilização do ponto de vista do público”.

Das 260 propostas apresentadas ao "Performance Architecture" foram escolhidas: "Construction with Clothes", "Bodyphonic", "AgriCultural Mountain", "Unidade" e "Fountain Hacks". O responsável definiu o projecto "Fountain Hacks" como uma estratégia de “apropriação hackiana” (de "hackers") das fontes da cidade, através de “objectos que transformam as fontes em piscinas e que promovem que durante o Verão se possa usar os espaços que antes eram só de contemplação como espaços lúdicos”, explicou.

PÚBLICO -
Foto
Pedro Gadanho definiu como critério principal na escolha das propostas a “intervenção da população” David Farran

Roupas, feno e andaimes

Sobre o projecto "Construction with Clothes", Gadanho descreveu-o como “um dos melhores exemplos da participação activa do público”, uma vez que a população terá que doar roupa. “São peças que fazem uma espécie de para-sol de espaços comuns no meio da cidade e que são feitas à base de roupa, depois devolvidas para efeitos de caridade”, explanou. Esta iniciativa “tem a ver com reciclagem de elementos do dia-a-dia para criar espaços de encontro na cidade”.

Por seu turno, "AgriCultural Mountain" “estabelece o diálogo entre o espaço rural, que ainda rodeia as cidades do Norte, e que se mistura com a urbanidade destas cidades”. Para esta instalação serão montados blocos de feno. Já o projecto "Bodyphonic" “é uma construção de elementos que produzem som e fazem parte de uma instalação de objetos de grande dimensão numa estrutura de andaimes que as pessoas podem utilizar para fazer música”.

Esta estrutura, revelou o responsável, ficará instalada na escadaria do Paço dos Duques, fazendo com que “haja uma apropriação muito mais informal e directa do espaço urbano face àquilo que é o monumento mais institucional e a imagem mais tradicional da cidade”. Por fim, explanou Pedro Gadanho, o projeto "Unidade" visa “produzir bancos de cimento para o espaço público”. A particularidade é que eles serão feitos através de um “'mixer' de cimento em que as pessoas vão estar sentadas em bicicletas que geram energia para fazer funcionar a máquina que faz a mistura”.

O Laboratório de Curadoria inaugurado no sábado é, segundo a programadora da área de Arte e Arquitectura de Guimarães 2012, Gabriela Vaz-Pinheiro, “uma plataforma que permite aos artistas apresentarem processos de trabalho” e “criarem contacto com as audiências”.