As bandas foram ao metro porque a Música na Rua vem aí

Realizou-se este sábado, na estação de metro do Bolhão, o casting da 3.ª edição da Música na Rua. As bandas seleccionadas tocam, a partir de 1 de Março, em várias estações do Porto

Os vencedores são conhecidos nos próximos dias Fernando Veludo/N Factos
Fotogaleria
Os vencedores são conhecidos nos próximos dias Fernando Veludo/N Factos
Fernando Veludo/N Factos
Fotogaleria
Fernando Veludo/N Factos

Os grupos de músicos iam chegando aos poucos, abraçados aos instrumentos ainda ensacados, e o movimento quase se resumia a isto, ao início da tarde de anteontem, na estação do Bolhão do metro do Porto. Bem no centro da gare, viam-se quatro cadeiras ocupadas pelos elementos do júri do casting da 3.ª edição da Música na Rua, um projecto promovido pela Metro do Porto.

Das 61 bandas inscritas, algumas vão ser seleccionadas para, a partir de 1 de Março, tocarem em várias estações. “O ideal será escolhermos 30 grupos, mas dependerá da qualidade das bandas e solistas que aparecerem aqui hoje”, dizia um membro da SPOT, a produtora do evento.

Neste casting não há limite de idades nem restrições quanto ao género musical. Do rock ao jazz, passando pela música clássica e pelo fado, vale tudo. “Qualidade musical, boa presença em palco e uma postura adequada é o que procuramos”, resumia Narciso Monteiro, um dos jurados.

Foto
O júri do casting da 3.ª edição da Música na Rua Fernando Veludo/N Factos

As bandas tocam e a caravana?

A prova começa. A voz da primeira concorrente enche toda a estação, com o clássico "Hit The Road Jack". A cantora capta de imediato a atenção dos restantes concorrentes, que se vão aproximando, e do público tímido que, aos primeiros acordes da guitarra, se começa a juntar.

A mistura acústica de drum’n’bass, world music e dance do trio Triciclo Vivo, consegue animar os espectadores que balançam o corpo ao som do didgeridoo. “Viemos fazer o que sabemos fazer melhor”, diz Ricardo Martins. “Este projecto é feito a pensar na rua e, como tal, este é o nosso melhor palco”, acrescenta.

Pouco depois, o público aplaude os Jahradio. Dizem que o ensaio correu melhor do que a actuação, mas acreditam que voltarão a ser escolhidos pelo júri, como no ano passado. “Há pessoas que param e sentem o que tocamos e há outras a quem a música lhes passa ao lado e continuam o seu caminho”, diz Francisco Aires, um dos membros da banda de world music, sobre os concertos nas estações.

Durante os próximos dias serão conhecidos os nomes das bandas às quais o júri vai oferecer um palco nas estações da Trindade, Casa da Música, Bolhão e Aeroporto. Os melhores podem participar também em concertos promovidos pela empresa municipal Porto Lazer.

Notícia corrigida a 27/02, às 11h27, com o nome da banda "Jahradio"