Carnaval

Ministro da Economia atribui paragem do país a contratos colectivos

Álvaro Santos Pereira, ministro da Economia
Foto
Álvaro Santos Pereira, ministro da Economia Enric Vives-Rubio

O ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, atribuiu a paragem de parte do país nesta terça-feira de Carnaval ao facto de “existirem contratos colectivos de trabalho que estão a ser salvaguardados”.

Quando questionado sobre o facto de parte do país estar parado, apesar de o Governo ter decidido não dar tolerância de ponto aos funcionários públicos da administração central, Álvaro Santos Pereira lembrou que existem contratos colectivos nas empresas em que a Terça-feira Gordas é considerado um feriado.

À margem da assinatura de aditamentos aos contratos de concessão entre o Estado e a REN, o ministro da Economia e do Emprego escusou-se, no entanto, a comentar a decisão de quase dois terços das câmaras do continente terem decretado tolerância de ponto, dando o dia ou o meio-dia de Carnaval aos funcionários.

“Quanto às autarquias não é a mim que me cabe responder a essa questão”, declarou Álvaro Santos Pereira.

A nível local, 64% das 278 câmaras do continente decretaram tolerância de ponto. Apenas 101 seguiram a orientação do Governo, que decidiu não dar tolerância aos funcionários públicos da administração central, ficando em aberto as tomadas de posições na administração local.

Sugerir correcção