I Liga

Golo de Toscano acabou com a invencibilidade do Benfica na Liga

Toscano festeja o golo do triunfo do Vitória sobre o Benfica
Foto
Toscano festeja o golo do triunfo do Vitória sobre o Benfica Foto: Miguel Riopa/AFP

E ao 19.º jogo o Benfica perdeu. A equipa não resistiu a uma aposta totalmente de ataque no terreno de um Vitória de Guimarães que estabilizou definitivamente o seu futebol. E pagou o deslize com a primeira derrota na prova que o deixa a apenas dois pontos do FC Porto.

Os benfiquistas tiveram mais futebol e mais oportunidades, mas não conseguiram anular a vantagem conseguida por Toscano que marcou o seu sétimo golo na prova.

Jorge Jesus apresentou uma equipa totalmente de tracção à frente. O técnico deixou Witsel e Bruno César no banco de suplentes, depois de já estar impedido de utilizar o lesionado Javi García. E apostou em Nolito e Aimar. Uma estratégia de risco, própria de quem tem uma grande confiança. Mas nada começou bem para o Benfica. O guarda-redes Artur teve dois deslizes e colocou a bola nos pés dos adversários, que desperdiçaram. Luisão também fez um passe para João Paulo. E as combinações ofensivas também não foram as melhores.

O Benfica só criou a primeira situação de perigo a partir de um canto, aos 17’. Foi um lance que permitiu um remate de Nolito sem oposição, à entrada da área.

A partir desse momento, o entendimento entre Aimar, Rodrigo, Gaitán e Nolito começou a dar frutos e as oportunidades de perigo aumentaram de número junto à baliza de Nilson. Falhou Nolito. Falhou Gaitán. Chegou-se a pensar que a resistência vimaranense poderia estar por um fio. O futebol, porém, não é uma ciência exacta. E mais que o potêncial ofensivo dos homens da Luz, foram os seus disparates defensivos que acabaram por dar resultados: Bruno Teles bateu um livre na direita, para o segundo poste; Leonel Olímpio amorteceu de cabeça e Toscano, em rotação, bateu Artur. Uma falha colectiva que colocou a vencer uma equipa que estava em linha descendente.

O Benfica acusou o golo e poderia ter sofrido o segundo numa jogada de Barrientos. O uruguaio trabalhou bem na área, mas o remate não saiu da melhor forma.

Na segunda parte, aos 51’, João Paulo e Toscano tiveram um contra-ataque perigoso, mas o remate de Toscano surgiu já sem ângulo. Respondeu o Benfica com um passe notável de Aimar para Nolito, que rematou para uma boa defesa de Nilson.

Jorge Jesus apostou tudo. Quando muitos esperevam a saída de Aimar, resolveu coloccar Witsel no lugar de Matic. Com esta alteração, aos 58’, o V. Guimarães ficou praticamente encostado às cordas, mas sem permitir grandes situações de perigo. Aguentou-se e ganhou o seu quinto jogo na Liga nos últimos seis que disputou.

POSITIVOBarrientos

O médio ofensivo vimaranense tem apenas 21 anos, mas mostra uma maturidade de um jogador bem mais experiente. Foi um dos futebolistas mais activos e fundamental na vitória minhota. Nas boas exibições figuram também o improvável goleador Toscano, o guarda-redes Nilson e os centrais vimaranenses.


NEGATIVODefesa do Benfica

Artur cometeu demasiados disparates que só não tiveram consequências maiores por acaso. Luisão acompanhou-o e também teve os seus deslizes. Só se salvou, de alguma maneira, Garay.


Ficha de Jogo

V. Guimarães, 1Benfica, 0

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.Assistência 19.052 espectadores.

V. Guimarães

Nilson, Alex, João Paulo, Defendi, Bruno Teles, Leonel Olímpio, João Alves, Barrientos (Anderson, 88’), Paulo Sérgio (Nuno Assis, 75’), Toscano (Molina, 90’+4’) e Edgar. Treinador Rui Vitória.

Benfica

Artur, Maxi Pereira (Bruno César, 85’), Luisão, Garay, Emerson, Matic (Witsel, 58’), Aimar, Nolito, Gaitán (Nélson Oliveira, 87’), Rodrigo e Cardozo. Treinador Jorge Jesus

Árbitro

Carlos Xistra, de Castelo Branco.

Amarelos

Maxi Pereira (18’), João Paulo (26’), Toscano (32’), Matic (36’), Aimar (66’), Witsel (71’), Luisão (75’) e João Alves (78’).

Golos

1-0, por Toscano, aos 37’.

Notícia actualizada às 22h48
Sugerir correcção