Liga

FC Porto cumpre em Setúbal e torce pelo outro Vitória

Foto
Foto: Patrícia de Melo Moreira/AFP

Juanma Lillo, ex-treinador do Salamanca, é referido por Pep Guardiola como um dos seus mentores e é conhecido pelas suas frases certeiras. Uma delas (“Diz-me que médio centro tens e dir-te-ei que equipas és”) pode aplicar-se na perfeição ao FC Porto, que neste domingo venceu no terreno do Vitória de Setúbal (3-1) e se colocou a dois pontos do Benfica, ficando agora à espera do que o líder fizer hoje em casa do Vitória de Guimarães.

Mas, afinal, o que tem a frase de Juanma Lillo a ver com o FC Porto? Tudo, se pensarmos em Fernando, João Moutinho e Lucho González. O brasileiro vive um momento de forma excelente e até já marca golos. O português está a regressar aos grandes momentos e o argentino (embora sem o ritmo dos dois parceiros) simplifica sempre que a bola lhe passa pelos pés.

Enquanto este trio esteve em campo, o FC Porto controlou o jogo em Setúbal, perante um adversário que está longe de ser uma equipa ameaçadora. Mas quando Vítor Pereira poupou Lucho e Moutinho, a meio da segunda parte, os sadinos mostraram finalmente alguma coisa, reduziram para 2-1 num livre de Meyong (75’) e fizeram tremer o banco portista, que só descansou quando viu Varela (com a bola a desviar em Miguelito) bater Ricardo pela terceira vez (79’).

Foi um sofrimento desnecessário para os portistas, porque, para quem vinha de uma jornada europeia e tem novo compromisso na quarta-feira (Man. City), o jogo não podia ter começado de melhor forma. Na primeira jogada de ataque, Janko marcou (3’). Moutinho aproveitou a passividade de Miguelito e foi à linha cruzar para o austríaco fazer bom uso da sua altura (1,96m) e marcar de cabeça.

Mesmo sem ser brilhante tecnicamente e colaborando pouco na construção do jogo ofensivo, o avançado contratado ao Twente vai provando a sua utilidade, somando já três golos em três jogos oficiais – o austríaco, aliás, igualou o arranque de Mário Jardel, que marcou nos primeiros três jogos pelo FC Porto.

A vantagem permitiu à equipa de Vítor Pereira gerir desde cedo o resultado e o jogo ainda mais fácil ficou com o 2-0. Numa das poucas vezes em que fez alguma coisa acertada, Hulk aproveitou um mau passe de Amoreirinha e isolou Fernando, que pôs fim a mais de um ano sem marcar (27’) – o médio brasileiro não marcava desde 19 de Janeiro do ano passado (Beira-Mar, para a Taça da Liga).

Com uma defesa quase toda nova (Sapunaru, Otamendi e Alex Sandro), o FC Porto até sofreu menos do que se esperava, porque o Vitória é uma sombra da equipa aguerrida de outros tempos. José Mota terá, aliás, muito trabalho pela frente para evitar a descida dos sadinos. É que, da estreia, o novo técnico só pode mesmo agarrar-se aos 15 minutos finais, em que conseguiu assustar um FC Porto que cumpriu a missão e fica à espera de uma ajudinha do outro Vitória, a duas semanas da visita à Luz.

POSITIVOMoutinho

Ofereceu o 1-0 a Janko e, enquanto esteve em campo, o FC Porto controlou sempre o jogo. Obrigou Ricardo a uma boa defesa e mostrou mais uma vez que luta sempre, seja qual for o adversário.


NEGATIVOHulk

Escolheu quase sempre a opção errada e foi demasiado individualista. Foi alvo de muitos gritos da bancada (Hulk, Hulk, Hulk), talvez para a UEFA ouvir, mas nem isso o animou.


Centrais do V. Setúbal

À excepção de Meyong, a equipa sadina esteve mal. Os centrais merecem destaque negativo porque foi por eles que começou a derrocada.


Ficha de jogo

V. Setúbal,


1

FC Porto,


3

Jogo no Estádio do Bonfim, em Setúbal. Assistência
4.702 espectadores.

V. Setúbal

Ricardo, Ney, Ricardo Silva, Amoreirinha, Miguelito, Djikiné (Rafael Lopes, 46’), Hugo Leal, Bruno Amaro, Neca (Bruno Gallo, 37’), Meyong e Targino.

Treinador

José Mota

FC Porto

Helton, Sapunaru, Otamendi, Rolando, Alex Sandro, Fernando, Lucho (Defour, 58’), Moutinho (James, 66’), Varela, Hulk (Cristian Rodriguez, 66’) e Janko.

Treinador

Vítor Pereira

Árbitro

Paulo Baptista, de Portalegre.

Amarelos

Ney (14’), Amoreirinha (22’), Sapunaru (69’), Otamendi (75’), Bruno Amaro (82’).

Golos

0-1, por Janko, aos 3’; 0-2, por Fernando, aos 26’; 1-2, por Meyong, aos 75’ e 1-3, por Varela, aos 79’.

Notícia actualizada às 21h15