Banco dos EUA concedeu empréstimos que não cumpriam requisitos

Citigroup paga 117 milhões de euros por fraude hipotecária

Foto
Foto: Toru Hanai/ Reuters (arquivo)

O banco Citigroup chegou a acordo nesta quinta-feira com as autoridades federais norte-americanas para pagar 153,8 milhões de dólares (117 milhões de euros) para resolver um processo de fraude hipotecária de que estava acusado, informou o Ministério Público de Nova Iorque.

O Citigroup “admite, reconhece e assume a responsabilidade” de ter concedido “vários” empréstimos, sabendo que não cumpriam os requisitos da Administração Federal de Habitação (FHA) e do Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano (HUD) nos Estados Unidos, de acordo com um comunicado do Ministério Público.

A entidade financeira deu, ainda assim, autorização para conceder esses empréstimos, garantidos por aquelas agências públicas, que custaram perdas milionárias em reclamações por seguros aos cofres federais.

O Citigroup incorreu também em fraude ao remeter para a FHA e para o HUD solicitações para conceder empréstimos que dizia que cumpriam os requisitos, sem que isso fosse certo.

Preet Bahrara, do Ministério Público de Nova Iorque, disse no mesmo comunicado que “durante demasiado tempo, os prestamistas trataram os seguros sobre as suas hipotecas do HUD como [se fosse] apostar dinheiro grátis, quando na realidade se estava a jogar com o dinheiro e as casas das pessoas”.

“Agrada-nos que o Citigroup tenha aceitado a responsabilidade pela sua conduta”, disse o mesmo responsável.

O Citigroup é um dos cinco maiores bancos norte-americanos, os quais vão pagar 26 mil milhões de dólares (19,5 mil milhões de euros) à administração do país para pôr fim às investigações que estão a correr sobre abusos em processos de execução de hipotecas.