Futebol

Domingos: “Não estava nos meus horizontes deixar o Sporting”

Foto

Domingos Paciência diz que foi “surpreendido” pela informação “absolutamente disparatada e lesiva” do seu bom nome acerca de um encontro com dirigentes do FC Porto. O ex-treinador do Sporting diz num comunicado emitido nesta terça-feira que vai “accionar judicialmente a agência Lusa pela informação falsa avançada”.

Sobre o processo de saída de Alvalade, Domingos refere que foi apanhado de surpresa. “Sempre [estive] de corpo e alma no projecto Sporting até ao dia em que me surpreenderam com a interrupção desse projecto”, escreve. “Não é por minha vontade que deixo o clube, nem isso estava nos meus horizontes”.

Comunicado na íntegra

No processo de rescisão com o Sporting Clube de Portugal fui surpreendido com uma informação absolutamente disparatada e lesiva do meu bom nome. A informação foi avançada pela agência Lusa e dá conta de que eu teria tido um encontro com dirigentes do FC Porto, com vista ao meu futuro profissional, alegadamente com base numa “fonte próxima da estrutura leonina”.

Nem precisaria de negar tão absurda informação, porque, felizmente, ao longo da minha carreira profissional, quer como jogador, quer como treinador de futebol, sempre coloquei à frente de tudo um valor: a dignidade. É com dignidade que sei estar no desporto e os responsáveis dos clubes que representei até hoje são as melhores testemunhas para atestar o que digo. É claro que não tive qualquer encontro com dirigentes do FC Porto ou de qualquer outro clube, porque estive sempre de corpo e alma no projecto Sporting até ao dia em que me surpreenderam com a interrupção desse projecto. Não é por minha vontade que deixo o clube, nem isso estava nos meus horizontes.

Atendendo a que o momento do Sporting requer serenidade, não me alongarei em considerações. No entanto, há algo que sou obrigado a fazer: accionar judicialmente a agência Lusa pela informação falsa avançada e veiculada também por outros órgãos de comunicação social, com origem na notícia dessa mesma agência, o que também lamento.

Será em tribunal que os responsáveis por esta notícia disparatada terão de responder, mesmo com uma “fonte próxima da estrutura leonina” a servir de base. E se essa fonte verdadeiramente existiu, foi obra cobarde de quem se refugia no anonimato e não hesita em manchar a honra de um profissional com calúnias infundadas. E os cobardes morrem sós.