I Liga

Golos só vieram depois da expulsão

James Rodríguez marcou um dos golos portistas
Foto
James Rodríguez marcou um dos golos portistas Foto: Miguel Vidal/Reuters

Em menos de meia-hora, o FC Porto materializou a sua superioridade, marcou quatro golos e bateu a União de Leiria, resultado que lhe permitiu repor os cinco pontos de atraso para o líder Benfica.

No restante tempo, principalmente até à expulsão (que pareceu exagerada) de Shaffer, a equipa portista pagou a exibição algo desinspirada, o desperdício do reforço Janko e a boa organização defensiva do adversário.

Os adeptos do FC Porto assinalaram o termo da primeira parte com uma sonora assobiadela. Durante esse período sobressaíram quatro factores: a boa organização defensiva do Leiria, a falta de intensidade do jogo portista (onde apenas o regressado Hulk garantia profundidade e desequilíbrios), algumas boas defesas do guarda-redes Oblak (emprestado pelo Benfica) e o desperdício de Janko.

O FC Porto começou o jogo com um duplo pivot no miolo (Fernando e João Moutinho) e com Lucho nas costas de Janko. Mas isso não garantiu a intensidade de jogo necessária para ultrapassar a muralha defensiva dos leirienses. Vítor Pereira tinha elogiado, durante a semana, o 3x4x3 com que o adversário se desenha desde que passou a ser treinado por Manuel Cajuda. Mas o que se viu ontem foi mais um 5x4x1, porque Ivo Pinto e Shaffer quase só defenderam, enquanto Bruno Moraes viu sempre o jogo de longe. Leiria que até começou por deixar o jovem avançado Djaniny no banco...

Durante esse período, como era de esperar, o jogo foi quase de sentido único. A primeira ameaça do FC Porto surgiu apenas aos 14’, num remate de meia-distância de Moutinho. Nessa altura, já a equipa portista andava, sem sucesso, à procura da cabeça de Janko... Mas o austríaco começou por desaproveitar uma arrancada de Danilo, que ainda não é devidamente aproveitado na organização ofensiva. Aos 32’, Janko desperdiçou uma assistência de Hulk, que pouco depois repetiu a receita, para um falhanço ainda mais escandaloso do austríaco.

O jogo cedo mudou de signo na segunda parte. Shaffer entrou com excesso de agressividade sobre João Moutinho, mas da bancada ficou a ideia de que Rui Silva exagerou no vermelho directo. Pouco depois, Cajuda trocou Bruno Moraes por Tiago Terroso e o Leiria passou a jogar num 5x4x0 que, naturalmente, mudava em muito o figurino do jogo. Mas não diminuiu as dificuldades sentidas pelo FC Porto, que só criou perigo num livre de Hulk e numa jogada de Varela desperdiçada por... Janko.

Vítor Pereira trocou Varela por James Rodríguez, opção que já se justificava há precisamente 61 minutos. Cinco minutos depois, Moutinho teve uma jogada soberba. O cruzamento apanhou completamente liberto Janko. Era impossível falhar.

Alguns minutos depois, James Rodríguez aumentou a vantagem portista, que passaria a goleada quando Álvaro Pereira marcou o 3-0 numa emenda muito oportuna. Maicon fechou a contagem a concluir um livre marcado por James, que revolucionou o jogo quase tanto como a expulsão de Shaffer...

POSITIVO
Oblak

O guarda-redes que o Benfica tem emprestado à U. Leiria sofreu quatro golos, mas não teve culpa em nenhum e fez defesas de grande qualidade.


James Rodríguez

Só Vítor Pereira poderá explicar por que é suplente o jovem colombiano. A sua entrada deu outra vivacidade ao ataque portista e a U. Leiria deixou de só se preocupar com Hulk.


NEGATIVOExpulsão de Schaffer

O lateral esquerdo teve um excesso de agressividade sobre João Moutinho, mas o cartão vermelho mostrado por Rui Silva (seguindo recomendação do árbitro assistente) pareceu um exagero visto da bancada. Uma decisão que condicionou o jogo e facilitou a tarefa de quem já era mais forte


Ficha de Jogo

FC Porto, 4U. Leiria, 0

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.Assistência 27.829 espectadores.

FC Porto

Helton, Danilo, Maicon, Mangala, Álvaro Pereira, Fernando, João Moutinho (Defour, 79’), Lucho, Hulk (Djalma, 84’), Janko e Varela (James, 60’). Treinador Vítor Pereira.

U. Leiria

Oblak, Manuel Curto, Haas, Edson, Ivo Pinto, Élvis (Djaniny, 70’), Marcos Paulo, Schaffer, John Ogu, Bruno Moraes (Terroso, 53’) e Robinho (Luís Leal, 61’). Treinador Manuel Cajuda.

Árbitro

Rui Silva, de Vila Real.

Amarelos

Varela (27’), Janko (60’), Álvaro (79’) e John Ogu (88’).

Vermelho directo

Shaffer (48’).

Golos

1-0, por Janko, aos 66’; 2-0, por James, aos 74’; 3-0, por Álvaro Pereira, 86’; 4-0, por Maicon, aos 89’.

Notícia actualizada às 23h07