Fotogaleria
Esgar Acelerado
Fotogaleria
Esgar Acelerado

Esgar Acelerado desafia Pedro Abrunhosa e a SPA para duelos

O artista explica nesta entrevista por que é que aqueles que defendem o projecto-lei 118 merecem "uma lâmina de metal frio a rasgar a carne quente". Assim, o medo imporia "algum cuidado e pudor na forma de agir", defende

À boa maneira oitocentista, o ilustrador Esgar Acelerado desafiou algumas personalidades — e a própria Sociedade Portuguesa de Autores — para duelos. "Considero ser a única forma de solucionar este diferendo de opinião entre ambas as partes", diz na sua página de Facebook.

Nesta entrevista, o artista explica por que é que aqueles que defendem o projecto-lei 118, a exemplo de Pedro Abrunhosa, merecem ser desafiados. "O medo de uma lâmina de metal frio a rasgar a carne quente imporia algum cuidado e pudor na forma de agir", garante Esgar Acelerado.

Há pessoas que só ganham juízo à força?

Creio que sim. É uma pena que essa bela tradição dos duelos se tenha perdido. Crescemos a acreditar que os problemas devem ser resolvidos de forma civilizada, que os tribunais foram criados para isso… Mas o que é certo é que, pelo menos por estas bandas, parece reinar uma certa impunidade para o que se diz e o que se faz errado. Qualquer pessoa atenta verifica que os casos se prolongam, que raramente há culpados, para além dos delitos comuns, como roubar um polvo no supermercado… Eu acredito na honra, e lamento que esta tenha desaparecido das nossas elites. Não vejo isto como um desejo de fazer justiça pelas próprias mãos, antes uma forma de resolver um diferendo entre cavalheiros. E claro que, numa sociedade onde a impunidade parece reinar, o medo de uma lâmina de metal frio a rasgar a carne quente imporia algum cuidado e pudor na forma de agir.

Pedro Abrunhosa, Nuno Markl e a própria SPA. Todos eles foram desafiados para duelos. Todos eles merecem?

Sim, por motivos diferentes, claro. O Pedro Abrunhosa pelo descaramento de assinar como autor uma petição para entrega de verbas a uma instituição onde ocupa um cargo de gestão; a SPA por ainda não ter compreendido em que mundo se vive, e se tentar manter à custa de taxas injustas e indiscriminadas. O Nuno Markl por ter feito declarações sem conhecimento. Este último, pelo menos, pediu desculpas. Agrada-me pensar que terá ficado com medo do meu desafio! Tenho outro autor que desafiei pessoalmente, que me confidenciou que após ter sido chamado à atenção por um familiar resolveu ler o que na realidade estava escrito no abaixo assinado da SPA. No que me diz respeito, ninguém que assine tal barbaridade está inocente e merece no mínimo um desafio!

Sentes que, como uma espécie de mosqueteiro, ganhaste adeptos nesta causa?

Sim, pelo menos tenho ajudado a tornar estas questões mais visíveis. Sinto que é minha obrigação. Tenho mais "likes" no Facebook nas divulgações destes desafios do que nos meus próprios trabalhos.

És ilustrador. Tens um trabalho criativo. Como farias em tribunal a defesa da liberdade dos teus desenhos?

Não faço a mínima ideia, até porque nunca pensei nisso. Custa-me acreditar que alguém possa ser chamado a tribunal para defender a sua liberdade.

Tens alguma coisa preparada para sábado? Mais duelos na agenda?

Acabei de desafiar o Tó-Zé Brito, um dos administradores da SPA. Não sei se irá aceitar; eu gostava muito que sim. E sábado estou livre. Raios, não há homens de honra neste país?