The Wall Street Journal fala em “mais um sinal” de pragmatismo

BCE aceita perdão parcial de obrigações gregas em caso de acordo

Foto
Foto: Alex Grimm/ Reuters (arquivo)

O Banco Central Europeu (BCE) terá aceite um reembolso dos títulos de dívida grega que detém abaixo do seu valor facial, se houver acordo para um novo resgate ao país, segundo noticia hoje The Wall Street Journal.

O jornal adianta que esta concessão do BCE, que é um dos maiores credores do Estado grego, iria reduzir o buraco nas finanças públicas, mas também dizia que não era ainda claro se os dirigentes dos partidos no poder iriam aceitar as duras medidas de austeridade que lhes são exigidas.

Esta seria uma maneira de o BCE contribuir para a redução do fardo da dívida do país, e não implicaria necessariamente que houvesse perdas financeiras. Os títulos em poder do banco central foram comprados no mercado secundário após o início da crise da dívida pública, e por isso pagos abaixo do seu valor facial. Assim, é possível que, mesmo com descontos, o BCE ainda ganhe dinheiro. Mas, da maneira que a questão está colocada, seria também possível haver perdas. Tudo dependerá do valor que aceitar receber.

O BCE está proibido estatutariamente de financiar directamente os Estados da zona euro, pelo que a compra de obrigações de países em dificuldades, mesmo se nos mercados secundários, levantou controvérsia, com alguns alemães a oporem-se e demissões pelo meio – ainda antes de se assumir um perdão.

O Wall Street vê esta concessão como “parecendo ser mais um sinal do pragmatismo do BCE sob o seu novo presidente, Mario Draghi”, italiano, que iniciou funções a 1 de Novembro e em Dezembro teve a iniciativa de fornecer aos bancos da zona euro fundos ilimitados a três anos, o que aliviou a pressão sobre a banca da zona euro. Está prevista outra operação idêntica ainda em Fevereiro.

Sugerir correcção