Paralisação total no Metro deve manter-se durante todo o dia

Num balanço feito pouco depois das 00h de hoje, o coordenador da FECTRANS José Manuel Oliveira disse que a adesão à greve no metro é de 100%, sendo que os primeiros efeitos começaram a sentir-se às 23h30 de terça-feira, com o encerramento de todas as linhas.

De acordo com a mesma fonte, a linha do Sado da CP tem também uma paralisação total até às 5h.

A “CP carga começa a ficar paralisada, enquanto a STCP, no Porto, e Carris vão ficar reduzidos aos serviços mínimos”, disse ainda.

A greve de hoje envolve a CP -- Comboios de Portugal, CP Carga, Refer, Metropolitano de Lisboa, Carris, Sociedade de Transportes Colectivos do Porto (STCP) e Transtejo/Soflusa.

A paralisação é de 24 horas em todas as empresas, com excepção do grupo Transtejo/Soflusa, onde os trabalhadores vão parar três horas por turno.

Os sindicatos que apresentaram os pré-avisos de greve contestam as medidas anunciadas pelo Governo para o sector dos transportes, como as privatizações, a redução de serviços e de trabalhadores.

Esta greve é a terceira a afectar as empresas públicas de transportes em três meses.

Na terça-feira, o secretário de Estado dos Transportes alegou que a greve dos transportes vai custar 150 milhões de euros à economia portuguesa e destruir num dia o esforço de poupança feito num ano.