Negócios

Grupo chinês Sany compra firma alemã de máquinas de construção

A Sany e a Putzmeister são fabricantes de máquinas para construção civil e obras públicas
Foto
A Sany e a Putzmeister são fabricantes de máquinas para construção civil e obras públicas Paulo Ricca

A companhia alemã Putzmeister, um dos grandes fornecedores de máquinas para construção civil e obras públicas, vai passar para as mãos da chinesa Sany por cerca de 500 milhões de euros.

O valor do negócio fica muito abaixo da compra de 21,5% da EDP pela China Three Gorges, por 2,7 mil milhões de euros, mas ainda assim é apontada por uma fonte próxima do processo, citada pela agência AFP, como uma das aquisições chinesas mais caras na Europa.

A Sany Heavy Industries é também especializada em máquinas para construção e obras públicas, como por exemplo gruas. A compra da Putzmeister vai realizar-se em conjunto com o a Citic PE, uma empresa chinesa privada de gestão de fundos de investimento. A nova aquisição é uma das típicas empresas do Mittelstand alemão, constituído por PME que são pontas-de-lança nos respectivos sectores, que são a base para as exportações germânicas.

O preço da venda não foi oficialmente revelado, mas de acordo com uma fonte próxima do processo, a família do fundador da Putzmeister, Karl Schlecht, irá receber cerca de 500 milhões de euros. A marca alemã, que passa agora a pertencer à Sany Heavy, irá representar os produtos topo de gama no âmbito do grupo.

“A fusão do líder na China das bombas de betão (que permitem injectar betão líquido para a construção de edifícios ou em minas e túneis) com o líder da maior parte dos mercados fora da China segue uma lógica estratégica e industrial: a criação de um líder mundial de bombas de betão”, afirma um comunicado conjunto das duas empresas.

A Putzmeister empresa 3000 pessoas e registou um volume de negócios de 570 milhões de euros no ano passado. Quanto ao grupo Sany, dirigido pelo homem mais rico da China, Liang Wengen, emprega 70.000 trabalhadores em 150 países. Em 2009, já tinha anunciado a construção de um centro de pesquisa e desenvolvimento perto de Colónia (parte ocidental da Alemanha), apresentado agora como o mais importante investimento de uma companhia chinesa na Europa.

Os grupos chineses têm andado em compras no continente europeu, nomeadamente de indústrias emblemáticas a nível tecnológico e sectorial. Em Portugal, a recente vitória no concurso para a compra de 21,35% da EDP pela China Three Gorges, por 2,7 mil milhões de euros, deverá ser seguida pela entrada da também chinesa State Grid na REN (Rede Eléctrica Nacional), com a aquisição de 25% de acções do Estado nesta companhia.

Já na Itália, a construtora de iates de luxo Ferretti foi adquirida em Janeiro passado pelo grupo SHIG-Weichai, por 374 milhões de euros, enquanto a também chinesa LDK Solar (fabricante de painéis solares) anunciou que pretende comprar a Sunways, uma pequena empresa alemã em dificuldades.