Irlandeses querem referendo sobre acordo de disciplina orçamental

Tal como Portugal e a Grécia, a Irlanda recebeu um empréstimo internacional
Foto
Tal como Portugal e a Grécia, a Irlanda recebeu um empréstimo internacional John MacDougall/AFP

Quase três quartos dos irlandeses defendem um referendo ao acordo intergovernamental sobre disciplina orçamental na zona euro que os líderes europeus se preparam para formalizar no Conselho Europeu de segunda-feira, indica uma sondagem que será publicada neste domingo.

Cerca de 72% dos mil eleitores irlandeses questionados pela sondagem – realizada na semana passada para o jornal Sunday Business Post pela empresa Red C – dizem que deveria haver uma consulta sobre qualquer novo tratado, contra cerca de 21% que manifestaram opinião contrária.

Questionados sobre o sentido de voto no caso de ser realizado um referendo ao acordo deste segunda-feira, 40% dos inquiridos afirmaram que votariam a favor do acordo, 36% contra e 24% não tinham opinião.

O primeiro-ministro irlandês, Enda Kenny, tornou público que pretende submeter o texto final do acordo, intergovernamental e não respeitante aos 27 membros da UE, à procuradoria-geral irlandesa para obter um parecer sobre a sua constitucionalidade.

A Irlanda já por duas vezes gerou inquietação na União Europeia ao sujeitar a referendos a aprovação por Dublin dos tratados europeus de Nice e de Lisboa.

A Irlanda está sujeita, juntamente com Portugal e com a Grécia, a um pacote de resgate financeiro da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional.