Liga

A infelicidade da boa exibição de Varela e a sorte do Benfica

Varela: golo, autogolo e penálti
Foto
Varela: golo, autogolo e penálti Foto: Miguel Vidal/Reuters

Há jogadores que têm exibições positivas, mas acabam por cometer um ou outro erro que deitam por terra o trabalho da equipa. Foi o caso, neste sábado, de Varela. O central abriu o marcador da sua equipa, mas depois fez um autogolo e uma grande penalidade que permitiram a vitória do Benfica frente a um Feirense que mostrou ser uma equipa com bons jogadores e lutou até ao último minuto. E ainda se pode queixar do árbitro lhe ter anulado mal um golo.

No relvado mais curto da Liga, Jorge Jesus apostou numa equipa vocacionada para jogar pelo centro do terreno, voltando a manter a tradição de não repetir a mesma equipa. O Benfica sentiu muitas dificuldades para coordenar o seu jogo e para fazer as devidas ligações entre a defesa e o ataque.

Numa espécie de colete-de-forças, os “encarnados” viram um adversário jogar sempre de forma desinibida e que soube tirar partido também da boa exibição de jogadores da velocidade de Ludovic, Diogo Cunha e das movimentações de Buval. A isto somou a capacidade física dos dois centrais Varela e Luciano que tanto se mostraram seguros a defender como a subir nos lances de bola parada.

O técnico do Benfica teve mesmo de retocar a sua estratégia a partir da meia hora. Encostou Witsel à direita, Javi García ficou como único pivot e Aimar passou a recuar mais para recuperar jogo, oferecendo outra liberdade a Rodrigo. O espanhol conseguiu finalmente mostrar verdadeiros sinais de perigo. Respondeu finalmente a lances que preocuparam Artur. Primeiro, aos 4’, com Luciano a cabecear levemente por cima depois de um livre de Hélder Castro. E, aos 13’, quando Diogo Cunha fugiu a Javi García e a enviar a bola à barra.

Mas a partir daquele momento tudo se alterou. Passou a ver-se mais do Benfica que até esse momento só tinha mostrado um momento mágico de Aimar, aos 16’, que deixou Rodrigo na cara de Paulo Lopes que realizou uma grande defesa. Foi a primeira do guarda-redes de 33 anos formado no Benfica. Cardozo teve também um momento notável quando Witsel arrancou um cruzamento para um cabeceamento espectacular de Rodrigo, o melhor jogador dos homens da Luz.

Na segunda parte, o Benfica entrou novamente adormecido. Logo no primeiro minuto só um disparate enorme do árbitro da partida evitou no pior para os homens de Jorge Jesus. Rui Costa resolveu assinalar um fora de jogo inexistente a Ludovic que tinha acabado de bater Artur. Mas, aos 49’, Varela aproveitou a sua capacidade para ter uma entrada fulgurante, depois de um canto de Hélder Castro. Artur Moraes nada podia fazer. O defesa central acabou também por dar uma ajuda ao Benfica, aos 53’, quando desviou de cabeça para o fundo da sua própria baliza um lançamento de Maxi Pereira. Sem fazer muito por isso o líder da Liga chegou ao empate.

Mas o protagonismo de Varela aumentaria aos 70’, quando permitiu que Rodrigo chegasse primeiro à bola e cometeu um penálti que Cardozo converteu, passando a somar seis jogos seguidos a marcar. Estava consumada a reviravolta do marcador e garantida mais uma semana de liderança isolada na Liga.


POSITIVO e NEGATIVO

+


Thiago Freitas
O médio anulou por completo Aimar e lançou os ataques da sua equipa. Foi um dos responsáveis pelas dificuldades do Benfica.

Paulo Lopes
Teve um punhado de defesas de grande qualidade e evitou lances de golo.

Rodrigo
Foi uma das poucas agradáveis exibições do Benfica. Deu velocidade ao jogo, movimentou-se bem e esteve nas jogadas mais perigosas da equipa.

-


Bruno César
Passou ao lado do jogo. Encostado à linha foi um elemento a menos. Saiu na segunda parte, mas deveria ter sido substituído mais cedo.

Aimar e Emerson
O primeiro nunca se libertou da marcação de Thiago Freitas e mal se viu. Não deu criatividade, nem capacidade ofensiva à equipa. Emerson defendeu mal e nunca deu qualquer apoio ofensivo ao seu flanco.
Ficha de jogoFeirense, 1
Benfica, 2

Jogo no Estádio Marcolino da Costa, em Santa Maria da Feira.Assistência
Cerca de 5.000 espectadores.

Feirense

Paulo Lopes, Luciano, Pedro Queirós, Mika (André Fontes, 86’), Fernando Varela, Stopira, Diogo Cunha, Ludovic, Thiago (Miguel Pedro, 77’), Hélder Castro (Cris, 65’) e Bastien.

Treinador

Quim Machado.

Benfica

Artur Moraes, Emerson, Luisão, Maxi Pereira, Garay, Javi García, Bruno César (Gaitán, 61’), Aimar (Nolito, 60’), Witsel, Cardozo (Matic, 90’+1’) e Rodrigo.

Treinador

Jorge Jesus.

Árbitro

Rui Costa, do Porto.

Amarelos

Thiago (6’), Javi García (36’), Artur Moraes (57’), Fernando Varela (72’), Ludovic (72’) e Maxi Pereira (82’).

Golos

1-0, por Fernando Varela, aos 50’; 1-1, por Fernando Varela (p.b.), aos 54’; 1-2, por Cardozo (g.p.), 73’.

Notícia actualizada às 23h01