Esta é a segunda vez que os preços aumentam em apenas seis meses Ricardo Silva
Foto
Esta é a segunda vez que os preços aumentam em apenas seis meses Ricardo Silva

Andar de metro, comboio e autocarro vai ficar mais caro

Os aumentos não se devem apenas à subida global dos bilhetes em Lisboa e no Porto. É que o desconto no cartão SUB-23 foi reduzido de quase 50 para 25 por cento

Andar de autocarro, metro ou comboio em Lisboa e Porto vai ficar mais caro a partir de 1 de Fevereiro. E atenção que isso não é apenas por causa do aumento global de cada um dos bilhetes e passes.

Se estudas, e tinhas, por exemplo, acesso ao cartão SUB-23 de qualquer operador de transportes públicos de Lisboa ou Porto, o desconto que te é oferecido, e que é quase de 50 por cento, vai passar a ser de apenas 25 por cento. Ou seja, o melhor mesmo é guardar mais uns euros para a próxima ida à máquina para carregar o passe. Ou então pagar desde já, que até dia 1 os preços são ainda os actuais.

Há outra mudança anunciada para o final do ano. Se tens um passe da STCP, no Porto, ou um Lisboa Viva onde carregas apenas um passe da Carris ou do Metro, só o poderás manter até 31 de Dezembro. No primeiro dia de 2013 terás de ter já um cartão Navegante, em Lisboa, ou um Andante, no Porto. Os preços são um pouco diferentes, a vantagem é que passas, numa cidade como na outra, a poder usar o metro, o autocarro ou até o comboio (dependendo da zona), sem pagar mais por isso.

PÚBLICO -
Foto
Filipe Arruda

Segundo aumento em apenas meio ano

Esta é a segunda vez que os preços aumentam em apenas seis meses. Mas desta vez, o aumento médio de cinco por cento vem acompanhado de medidas de reformulação da política de descontos. A partir da próxima semana, só terás direito a 50 por cento de bonificação no preço dos passe se receberes apoio social, escalão A, na tua escola. Se não for esse o caso, tens direito ao desconto de apenas um quarto do preço. A partir de Julho, diz o Governo, os jovens, (como os idosos e todos os outros clientes), terão de provar que os seus rendimentos familiares são inferiores a um determinado valor (que vai ser ainda anunciado), se quiserem ter direito aos 25 por cento de benefício.

Os tempos estão, pois, para quem gosta e pode andar a pé, ou para quem se esteja a virar para a bicicleta. Na quinta-feira, o PÚBLICO noticiava que, em dois anos, no Grande Porto, os preços do Andante – o equivalente ao novo cartão criado para Lisboa, que se chamará Navegante – aumentaram, no caso dos passes, uma média de 27 por cento.

Por exemplo, um passe Z2, o mais barato, passou de 23,45 euros que custava em Fevereiro de 2010 para os 30 euros que passará a custar em Fevereiro de 2012. Com estes aumentos, as empresas temem perder clientes. E o pior da crise, dizem, ainda está para vir. E essa viaja rápido, e sem bilhete.