Aviação

Spanair cessa voos e deixa milhares de passageiros em terra

A paragem afecta mais de 22.700 passageiros neste fim-de-semana
Foto
A paragem afecta mais de 22.700 passageiros neste fim-de-semana Lluis Gene/AFP

A Spanair acabou. A companhia aérea espanhola, que assegurava voos em code-share com a TAP, anunciou na noite de ontem a suspensão definitiva de todos os seus voos com efeitos já a partir desta madrugada. Só neste fim-de-semana, 22.771 pessoas tinham lugar marcado na Spanair.

“Face à falta de viabilidade financeira, a companhia optou por cessar a operação dos voos.” A informação chegou às redacções em forma de comunicado enviado pelo conselho de administração da Spanair, onde também se podem encontrar alternativas para quem comprou um lugar nos seus voos, e pode ser lido na íntegra no site da companhia – esta é aliás a única informação disponibilizada no endereço web a par de um número de informações (+34-900131415); tudo o resto já foi retirado do ar.

Só nos próximos dois dias, 22.771 pessoas serão afectadas, entre voos comprados directamente à companhia e lugares passados por code-share por companhias associadas entre as quais está a portuguesa TAP. Nas redes sociais, a transportadora nacional exorta a “todos os passageiros que possuam bilhetes TAP, com voos operados pela referida companhia” a entrarem em contacto “a fim de se verificarem alternativas a esses voos”.

Para quem tinha viagem programada com a Spanair a solução poderá passar por tentar reaver o dinheiro ou, nos casos de code-share, arranjar alternativa com a companhia emissora do bilhete. Noutros casos, e para tentar minimizar as consequências imediatas, a Spanair chegou a acordo com as companhias Vueling, Iberia e Air Europa para que transportem por preços especiais os passageiros com viagem marcada para os próximos três dias: 60€ nos voos domésticos e ilhas baleares; 90€ nas ligações às ilhas Canárias; e 100€ em voos internacionais.

A Ryanair anunciou, entretanto, uma tarifa de resgate para os passageiros deixados em terra: 49€, taxas e encargos incluídos, em 21 rotas para reservar até 4 de Fevereiro e voar até 12. Estes voos apenas podem ser reservados no endereço www.ryanair.com/member/spanairrescuefare e podem ser comprados unicamente por quem tenha viagem Spanair.

Fim anunciado

A decisão de um fim abrupto às operações da Spanair surge numa altura em que a Qatar Airways virou costas à possibilidade de adquirir 49% da empresa espanhola, o que permitiria um encaixe de 150 milhões de euros e o consequente resgate financeiro da empresa. O afastamento da companhia aérea do Qatar foi anunciado dias após o anúncio da data de lançamento da Iberia Express, a versão baixo custo da Iberia para voos de curta e média duração. As rotas da nova low cost, que deverão incluir Portugal, avançam já a 25 de Março.

Em 2011, segundo informa o "El País", a Spanair chegou a ser a segunda companhia no aeroporto de Barcelona-El Prat em número de passageiros: 4,3 milhões. Mas muitos pressagiavam uma curta vida à companhia, que chegou a ser notícia devido a dúvidas quanto à legalidade de algumas operações e às injecções recebidas de capitais públicos.

A última intervenção, de apenas alguns dias, veio do presidente da Iberia, Antonio Vázquez, que denunciou projecto como um que não tinha futuro. Vázquez pediu mesmo a intervenção de Bruxelas para acabar com as ajudas do Estado à Spanair.

A Spanair empregava directamente, segundo os mapas entregues em 2010 no Registo Mercantil espanhol, cerca de 2700 pessoas. Mas, com os empregos indirectos, dava ao todo trabalho a mais de quatro mil.

Notícia substituída às 10h00, 28-01-2012